CIDADES

Equipes fazem limpeza e recuperação de ruas depois de temporal

Equipes fazem limpeza e recuperação de ruas depois de temporal
27/02/2010 04:29 -


Equ ipes da Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação foram mobilizadas ontem para recuperar danos em áreas prejudicadas pela chuva que caiu no início da tarde de quinta-feira, em Campo Grande, durou 1h20min e causou estragos. Além da limpeza das bocas de lobo, retirada de galhos de árvores, terra e sujeira das vias, a prefeitura da Capital recuperou os trechos de asfalto destruídos pela enxurrada. A forte chuva inundou imóveis, danificou ruas e estruturas públicas. Já os ventos atingiram 47 km/h, conforme o responsável pela Estação Meteorológica da Uniderp / Anhanguera, Natálio Abraão. Durante o temporal, a Defesa Civil municipal registrou pelo menos 10 pontos de alagamento e duas casas invadidas pela enxurrada. De acordo com a prefeitura, equipes de limpeza foram destinadas aos bairros Jardim Panorama, Vivendas do Parque, Maria Aparecida Pedrossian e imediações das Avenida Costa e Silva e Rachid Neder. Já a recuperação do asfalto ocorreu na Rua Spipe Calarge, na Vila Carlota, Rua Padre João Grener, no Bairro Taveirópolis e na Rua Jefferson Clair Moraes, Vila Cidade Morena. Os trabalhadores recuperaram ainda parte do asfalto na Rua Chaad Scaff, próximo à Joaquim Murtinho, que foi arrancada pela enxurrada e arrastada até o lado contrário da pista, causando interdição das vias. Quando da destruição, pelo menos 10 funcionários da Agência Estadual de Trânsito (Agetran) foram até o local para quebrar e fazer a remoção da placa de asfalto que se deslocou. O secretário municipal de Infraestrutura, João Antonio De Marco, garantiu que o solapamento ocorrido na Rua Chaadi Scaff não pode ser associado à qualidade do asfalto. “Tivemos um volume de chuva muito acentuado, aquele asfalto é antigo e isto pode acontecer. A água entra por baixo do asfalto e, sem espaço suficiente para passar, acaba provocando este tipo de estrago”, explicou.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".