Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SORTE

Entregador acerta quina da Mega da Virada em Caarapó

Entregador acerta quina da Mega da Virada em Caarapó
04/01/2014 11:50 - Da redação


O entregador de gás Anderson Caldeira da Silva, 29 anos, morador em Caarapó (MS), acertou cinco números da Mega da Virada e faturou R$ 38.701,20. A aposta foi feita na Lotérica Zebrinha, no centro da cidade, no último dia 28 às 9h12min. As informações são do Caarapó News.

O ganhador disse que não joga com frequência, mas sempre que pode faz uma ‘fezinha’, principalmente quando a grana é alta como foi a da Mega Sena da Virada. A aposta foi a de R$ 2,00 e os números acertados foram o 20, 36, 38, 47 e 53.

“Após conferir os números saí contando para os meus colegas que tinha acertado a quina, mas ninguém acreditava”, disse o ganhador ao CaarapoNews.

Questionado sobre o que irá fazer com o dinheiro, o entregador disse que havia prometido que se ganhasse ajudaria algumas pessoas com cesta básica, e isso já teria sido feito. O resto ele diz que vai aproveitar para trocar o carro e o que sobrar pretende deixar no banco.

O ganhador disse ainda que agora vai jogar com mais intensidade, haja vista, não ser um apostador assíduo.

A sócia proprietária da Lotérica Zebrinha, Fabiana Machado Quintino, disse que casos como esses, levam as pessoas a acreditarem cada vez mais na chamada ‘fezinha’. “Com certeza as apostas nos próximos dias devem aumentar, pois os apostadores viram que alguém de sua cidade, ou até mesmo de sua rua ganhou, e com isso os mesmos se sentem mais motivados para apostarem”, observou.

Fabiana disse ainda que a família ‘Quintino’ está a frente da empresa em Caarapó há três anos, e essa é a primeira vez que alguém acerta a quina. Nesse mesmo concurso saíram também para Caarapó até agora cinco quadra da Mega da Virada, através de bolão.

Felpuda


Paixão política que extrapola o bom senso, chega nas redes sociais e se transforma em baixaria pode resultar em prejuízo no bolso. Isso foi o que aconteceu com autor de texto nada elogioso contra colega por diferenças em apoio a candidatos nas eleições de 2016. O dito-cujo foi condenado a pagar indenização de R$ 7 mil, com correção monetária e juros mensais a partir da publicação da sentença, além dos honorários advocatícios. Detalhe: os adversários daquela época hoje andam de braços dados. Pode?