Quarta, 21 de Fevereiro de 2018

projetos

Entidades que cuidam de drogados ainda podem buscar recursos

16 NOV 2010Por NADYENKA CASTRO01h:40

Hoje é o último dia para as comunidades terapêuticas – entidades que tratam de dependentes químicos – interessadas em participar do Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas enviarem projetos ao Governo federal. Serão implantados cerca de 2,5 mil leitos em centros de internação, que constituem serviços de acolhimento a pessoas com transtornos decorrentes do uso ou abuso de drogas.

O plano, lançado pelo Governo, por intermédio da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), tem como objetivo fortalecer a rede de combate às drogas e irá repassar o total de R$ 24 milhões, por 12 meses, a comunidades terapêuticas selecionadas a partir da análise das condições estabelecidas em editais.

Para ter o projeto aprovado, as instituições interessadas devem obedecer a uma série de requisitos, como anexar a planta baixa do imóvel utilizado, descrição do consumo de drogas nas localidades de abrangência, da rotina de atividades no local e ainda informar sobre o plano de acompanhamento do paciente após alta.

Também é necessário não ter nada que prive o paciente de liberdade e de comunicação com a família, não obrigar o usuário a participar de atividades religiosas, é preciso ter equipe de profissionais capacitados e ainda haver privacidade em relação ao vestuário, objetos pessoais e ser articulada com a rede de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS).

Conforme a Senad, pelo menos 2,5 mil leitos para usuários de crack e outras drogas também serão disponibilizados em hospitais gerais, integrantes da rede local de serviços de saúde, especialmente para tratamento de intoxicação aguda, quadros de abstinência e complicações clínicas e/ou psíquicas associadas.

Leia Também