Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

sexta, 22 de fevereiro de 2019 - 11h22min

Entidade cobra explicação sobre empréstimo milionário para iluminação

1 JUN 10 - 06h:43
DANIELLA ARRUDA

O Conselho Estadual de Consumidores da Empresa Energética de Mato Grosso do Sul (Concen) vai pedir explicações da Prefeitura de Campo Grande e da Enersul sobre o empréstimo de R$ 15 milhões aprovado na semana passada pela Câmara Municipal, visando financiar a substituição de lâmpadas por outras mais eficientes e expandir a rede de iluminação pública da Capital. A entidade recebeu solicitação de esclarecimentos da Associação Brasileira da Cidadania do Consumidor (Abececon), representante da classe residencial, que constitui 80% dos consumidores do Estado — o equivalente a 715 mil pessoas. Um dos questionamentos levantados foi a real necessidade do financiamento, uma vez que Campo Grande já arrecada a Contribuição para Custeio do Serviço de Iluminação Pública (Cosip) justamente para esse fim.

A eficiência da aplicação dos recursos da Cosip também e a possibilidade de repasse do valor do empréstimo para a tarifa de energia elétrica, que terá novo reajuste em abril do ano que vem, foram alguns dos questionamentos levantados. “Se já se tem arrecadação com iluminação pública, ela não é eficiente — falta em frente de escolas, pontos de ônibus e na periferia em geral. O que questionamos é a transparência do que é aplicado hoje, a origem desse empréstimo recente e quem vai ser responsável pelo pagamento”, disse a conselheira Maria Rita Barcelos, coordenadora de serviços públicos da Associação Brasileira da Cidadania e do Consumidor de Mato Grosso do Sul (Abcon-MS).

Durante a reunião representantes da Enersul esclareceram que a operação de crédito é efetivada por meio do Programa Reluz e todo o valor do empréstimo vai integralmente para as prefeituras, sem repasse para a tarifa. Mesmo assim, isso não tira o foco quanto à arrecadação, segundo avaliação da representante da Superintendência de Defesa do Consumidor (Procon) no Concen, Rosimeire Cecília da Costa.

“Como conselho, a nossa função é fiscalizar, saber se o dinheiro público está sendo aplicado corretamente. O que se arrecada durante o ano (com a Cosip) não é suficiente para iluminar a Capital? Precisa do Reluz? Esse é um direito do consumidor, saber o porquê desse empréstimo e principalmente se isso não vai impactar no próximo reajuste”, destacou.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Em tratamento contra a dengue, menina precisa de doação de plaquetas
SOLIDARIEDADE

Menina precisa de doação de sangue e plaquetas

Smartphone tem diferença  de preço de até R$ 550 na Capital
PESQUISA

Smartphone tem diferença de preço de até R$ 550 na Capital

Solurb tem 15 dias para mostrar cronograma de restauração ambiental
PRADA

Solurb tem 15 dias para mostrar cronograma de restauração ambiental

Homem pega nas nádegas de mulher dentro de ônibus em Campo Grande
ABUSO

Homem pega nas nádegas
de mulher dentro de ônibus

Mais Lidas