Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

domingo, 17 de fevereiro de 2019 - 12h58min

Enersul propõe redução de apenas 0,43% na energia

24 MAR 10 - 23h:53
A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou no final da tarde de ontem que a concessionária Enersul solicitou o índice de redução de 0,43%, a vigorar a partir do dia 8 de abril. De acordo com a Aneel, o cálculo teve como base a tarifa praticada em 2009, que foi superior à de 2008. De acordo com o deputado Marquinhos Trad (PMDB), “esse repasse antecipado de tarifa é inédito no País, e inaugurado com a Enersul. O fato tem de ser comemorado, porque em dez anos de Enersul, pela primeira vez as planilhas feitas entre ela e a Aneel são divulgadas antes da data do reajuste (8 de abril)”. Marquinhos Trad frisa que esse foi um ganho da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, e dele, que se empenhou para que as tarifas fossem reduzidas e os consumidores recebessem de volta o que pagaram a maior. “Na segunda-feira, estarei em Brasília para discutir e acompanhar esse índice tarifário”, frisa. Questionado sobre um possível “tarifaço” para o período de 2011 a 2012, que já foi estimado em torno de 25%, o parlamentar ressalta: “todos os números considerados nos contratos, analisando individualmente os requisitos que direcionam o reajuste e a revisão, indicam uma queda para 2010/2011. Para a tarifa do período 2011 a 2012, dependerá da economia brasileira”. Ele garante que as insinuações de que no próximo ano a Enersul cobrará os “resíduos”, ou seja, os reajustes que não foram cobrados nesses três anos, não existem, pois se a concessionária reconheceu que cobrou a maior e devolveu os valores, ao mesmo tempo abatendo dos reajustes de cada ano (2008, 2009 e 2010), “não teremos que pagar ‘resíduos’, porque eles não existem”, finaliza. Cobrança indevida O erro que gerou a cobrança, para o consumidor, de tarifa que era a mais cara do País, começou com o superfaturamento de cabos de energia da Enersul, que terceirizou a avaliação do patrimônio para fins de reajuste tarifário. Na época, a concessionária não se manifestou e o erro só foi trazido a público depois da instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul e do Conselho de Consumidores da Enersul. A Aneel reconheceu o erro em dezembro de 2007 e iniciou, em 2008, a devolução dos valores cobrados a maior (R$ 191 milhões). O valor do desconto devidamente corrigido pela taxa Selic foi dividido, resultando em cerca de R$ 19 milhões na revisão de 2008, outros R$ 76 milhões no reajuste de 2009 e para 2010 as projeções da Selic apontam para cerca de R$ 80 milhões o valor do crédito a ser considerado na determinação do índice de reajuste tarifário.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

PREÇOS DOS COMBUSTÍVEIS

Após três quedas seguidas, gasolina volta a subir em Campo Grande

Etanol apresentou redução e diesel ficou estável, segundo ANP
Candidatos chegam mais cedo por preocupação com mudança no horário
CONCURSO PÚBLICO

Candidatos chegam mais cedo por preocupação com horário

Em janeiro, 490 empresas foram abertas em Mato Grosso do Sul
ECONOMIA REGIONAL

Em janeiro, 490 empresas foram abertas em Mato Grosso do Sul

Em MS, 12 escolas estaduais oferecerão aulas em tempo integral
ENSINO MÉDIO

Em MS, 12 escolas oferecerão aulas em tempo integral

Mais Lidas