Campo Grande - MS, terça, 21 de agosto de 2018

FINANÇAS PESSOAIS

Empresas orientam os seus funcionários

9 MAR 2011Por infomoney00h:02

A estabilidade econômica conquistada pelo Brasil nos últimos anos está chamando a atenção das empresas para outro fator que vai muito além de investimentos e novos negócios. Trata-se de treinar os próprios funcionários sobre finanças pessoais, pensando, em longo prazo, na qualidade e produtividade dentro da organização.

De acordo com a diretora da consultoria Solução Labor e pesquisadora de comportamento e qualidade de vida, Suyen Miranda, o funcionário em equilíbrio financeiro tende a reduzir dispersão, interrupções e aumenta sua consciência e produtividade, por ter menor estresse com suas finanças.

“O que, no passado, parecia ser coisa de gente rica, hoje, está acessível, que é o investimento em ações, planejamento financeiro de médio e longo prazos, conhecimento das ferramentas de crédito disponíveis e a diversificação das possibilidades de investimento. Vale lembrar que, por muitos anos, tivemos poucas opções de investimento para a classe média e baixa, quase sempre variando sobre a poupança”, diz Suyen, ao analisar a mudança significativa que o mercado tem percebido sobre o interesse em finanças pessoais.

“O funcionário preocupado com sua conta-corrente começa a reduzir sua atenção para outros assuntos que não sejam sua vida financeira, o que pode levar a falhas, retrabalho, acidentes, entre outros dispersores de atenção. Há ainda o problema em empresas quanto a funcionários que pedem para ser demitidos de modo a levantar o FGTS para sanar dívidas e antecipar o décimo terceiro, todas ações que tomam tempo e saem do foco produtivo”, analisa a consultora.

Finanças corporativas
A especialista afirma que a política de conscientização do conhecimento de finanças pessoais propicia uma redução no volume de faltas, maior grau de concentração, menores índices de retrabalho e paradas.

Por muitas vezes, a educação passada ao funcionário chega até sua família, o que faz as empresas considerarem atentamente o investimento em treinamento para todo os colaboradores.

“Inclusive a imagem da empresa é beneficiada por conta de sua preocupação com o bem estar e qualidade de vida de todos que nela participam. Lembro que o problema financeiro não está ligado ao salário, mas sim ao uso inadequado dos recursos financeiros, ou seja, não é porque a empresa paga altos salários que estará garantindo saúde financeira à sua equipe”, finaliza Suyen.



 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também