sexta, 20 de julho de 2018

Ipv6

Empresas brasileiras têm até três anos para se adaptar à nova tecnologia da web

6 FEV 2011Por r721h:59

O esgotamentos dos protocolos de acesso a internet mais usados na maior parte do mundo está perto do fim e, mesmo sem oferecer o risco de uma pane geral no uso da web, deve servir de incentivo para que provedores de internet e demais serviços online comecem a se preparar para a chegada do IPv6, a tecnologia que deverá ser a substituta do IPv4, atualmente predominante.

O Brasil recebe seu lote de endereços IP a partir de um bloco maior distribuído para a toda a região das Américas e Caribe. Segundo associações internacionais, o estoque de IPv4 deve durar pelo menos até 2012, podendo chegar ao fim somente em 2014 no país e na América do Sul.

Os lotes europeus têm fim estimado para junho de 2012 e para a América do Norte, julho de 2012. A previsão mais preocupante se refere à Ásia, onde a internet cresce mais que nos outros continentes, impulsionada principalmente pela China e Índia. O estoque deve chegar ao fim no continente asiático por volta de agosto deste ano.

Estimativas mostram que os dois sistemas devem continuar a funcionar normalmente por volta de mais uma década, mas com a adoção cada vez maior do IPv6, pode ser que um usuário da web que tenha um smartphone, por exemplo, cuja conexão seja baseada no IPv6 não consiga acessar um portal que ainda não esteja pronto para essa tecnologia.

A adoção do IPv6 exige adaptação de sistemas de internet, configurações e até troca de equipamentos.
 

Leia Também