RECLAMAÇÕES

Empresas atendem em postos no Procon/MS

Empresas atendem em postos no Procon/MS
29/06/2012 00:00 - DA REDAÇÃO


Os postos de atendimentos avançados instalados junto a estrutura física do Procon, em Campo Grande, têm agilizado os procedimentos em empresas de telefonia e serviços essenciais aos consumidores. Os postos das empresas Águas Guariroba, Enersul e da Telefônica OI visam o atendimento das relações de consumo quando as empresas precisam intervir diretamente no problema apresentado pelo consumidor.

O ranking de reclamações do Procon apresentou em 2008 as empresas Enersul, Brasil Telecom S/A e Celular, e Águas Guariroba, respectivamente, entre as três empresas com maior número de reclamações do órgão. Em 2009 as empresas continuaram a ocupar as primeiras colocações, mudando apenas de posição no ranking. Em 2010,  foi assinado o convênio para instalação dos postos de atendimentos avançados no Procon.

Em 2010 a empresa Oi Fixo passou a ocupar a 2ª colocação no ranking, a Enersul caiu para a 6ª posição, a Águas Guariroba passou a ocupar a 9ª colocação e por fim, a Oi Móvel ocupou o 10º lugar no ranking das empresas com maior número de reclamações junto ao Procon.

Já em 2011 ranking teve mais alterações. A empresa Enersul passou a ocupar a 2ª colocação e as empresas OI e Águas, nem apareceram no ranking das 10 empresas com maiores números de reclamações. A Oi passou a ocupar a 14ª colocação e a Águas Guariroba a 46ª posição.Os dados de janeiro a abril de 2012 apresentaram a Enersul figurando na 8ª posição, a Águas na 19ª posição e a OI na 36ª colocação entre as empresas mais reclamadas pelos consumidores.  

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".