Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

com rede social

Empresários querem faturar R$ 4 milhões

22 FEV 14 - 11h:22folhapress

Compartilhar fotos e roteiros de viagens e aproveitar dicas de outros turistas para montar seu próprio guia. Essa é a ideia da rede social Trippics, no ar há cerca de três semanas.

"Estava planejando uma viagem para Orlando no fim do ano passado e tive muita dificuldade em achar indicações de lugares por lá. Percebi que havia um espaço aí", afirma Octávio Magalhães, presidente-executivo da start-up.

A start-up recebeu um investimento de R$ 400 mil, de dois investidores-anjos, na metade 2013.

"Recebemos um aporte em julho do ano passado e trabalhamos para colocar o site no ar em dezembro. Nas próximas semanas vamos lanças o aplicativo para Android e iOS", afirma Octavio Magalhães, sócio e presidente-executivo da start-up.

Por enquanto, quem acessa o site pode seguir outras pessoas, visualizar e compartilhar fotos e dicas de suas viagens pelo Brasil e pelo mundo.

"Mais para frente, a ideia é que cada usuário possa montar o seu roteiro a partir disso", diz Magalhães.

O site já conta com um botão de "quero ir" que, segundo ele, já dá dimensões de quais são os destinos favoritos dos internautas.

O cadastro de usuários na rede social é gratuito, mas os sete sócios, incluindo os atores Bruno de Luca e Thiago Rodrigues, já pensam em meios de monetizar o negócio.

De acordo com Magalhães, a publicidade interessa a curto prazo, mas não deve ser o principal modelo de negócio da empresa.

"Queremos direcionar a audiência. Se o usuário está montando um guia para Paris, eu posso indicar estabelecimentos e direcioná-lo para um parceiro meu. Esse direcionamento teria um custo para o local", explica.

Outra maneira é fazer com que hotéis, bares, restaurantes e outros empreendimentos que queiram ter um perfil oficial na rede paguem uma mensalidade.

Por enquanto, quem acessa o site pode visitar perfis de outros usuários sem se cadastrar. Mas isso deve ter fim logo. Segundo Magalhães, o site, que tem cerca de 30 mil usuários cadastrados, deve ganhar uma nova versão fechada.

A meta é alcançar 2 milhões de usuários até o final de 2014 e fechar o ano com um faturamento de R$ 4 milhões. 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Homem é morto a tiros ao chegar na casa da namorada
PONTA PORÃ

Homem é morto com 16 tiros na fronteira

MUNDO

Manifestantes em mais de 150 países defendem meio ambiente

MUDANÇAS

Sancionada MP que permite que bancos abram aos sábados

Professores também podem lecionar no domingo
Deputado é criticado por <br> fazer copia e cola de lei federal
PROTEÇÃO DE DADOS

Deputado é criticado por
fazer copia e cola de lei federal

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião