Campo Grande - MS, quinta, 16 de agosto de 2018

ECONOMIA

Empresários da Capital estão menos confiantes

1 JUN 2011Por da redação14h:11

Assim como em nível nacional, em maio o Índice de Confiança do Empresário do Comércio de Campo Grande caiu comparado ao mês de abril. A pesquisa é da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo). Apesar da percepção mais negativa da atividade econômica neste momento, os níveis de estoque melhoraram na capital sul-mato-grossense e o indicador de contratação de funcionários também.

“O que percebemos é que o comércio enfrenta uma fase de vendas arrefecidas, mas os empresários têm uma perspectiva de futuro otimista, do contrário não reforçariam estoques ou planejariam contratações”, diz o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo e do Instituto Fecomércio MS, Edison Ferreira de Araújo.

Em maio, a queda mais expressiva, de 13,1%, foi no índice que avalia as condições atuais da economia de uma forma geral. Quando questionados sobre as condições atuais do comércio, especificamente, a queda no índice – que vai de 0 a 200 e desta vez ficou em 99,4 – foi de 9,4%

Quanto questionados sobre a situação atual do setor, 46,8% apontaram ligeira melhora enquanto 42,2% disseram que piorou um pouco. Já 6,9% dizem que as condições pioraram muito e somente 4% afirmam ter melhorado muito. Quando a pergunta é voltada à condição da empresa em si, as respostas são mais otimistas. Apontam melhoras significativas 17,3% e melhoras brandas 60%.

Expectativas boas

Apesar de atravessar um período difícil, a expectativa para o setor é boa. Para 20,9% a tendência é de melhorar muito e 62,6% esperam que pelo menos a situação melhore um pouco. Apenas 16,4% esperam dias piores, taxa que cai a 8,1% quando o que está em questão é a condição da empresa.

Com boas perspectivas, 70,9% das empresas esperam contratar mais funcionários, sendo que 4,3% devem aumentar o quadro significativamente, enquanto outras 29,1% falam em demissão.

Além disso, o nível de investimento das empresas aumentou 9,8% em maio. Disseram que estão investindo mais 64% dos entrevistados. Ainda em sintonia com as boas perspectivas, disposição em renovar estoque também aumentou, o índice subiu 29,3%.

Leia Também