Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

Empresa negociava aves inexistentes

21 NOV 2010Por 02h:40

O maior baque do avestruz, que era promessa de altos lucros no início dos anos 2000, foi a quebra da Avestruz Master, em 2005. A empresa goiana negociava aves que não existiam, entre outras irregularidades. Os 50 mil clientes lesados, em todo o Brasil, acumularam mais de R$ 1 bilhão em prejuízos, segundo o Ministério Público de Goiás, que pediu a prisão de seus diretores e presidente, que recorreram na Justiça.

Segundo o jornal Valor Econômico, eles foram condenados pelos crimes contra as relações de consumo, a economia popular e o sistema financeiro, por fazer oferta de títulos mobiliários sem autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e prestar informações falsas a investidores.

Outras ações foram abertas também em Pernambuco e Goiás, apurou o Valor. As vítimas só poderão pedir indenização quando todos os recursos forem julgados. (CHB)

Leia Também