Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 20 de novembro de 2018

Empresa lembra os 15 malwares mais influentes da história

23 JUL 2012Por TERRA17h:00

A Kaspersky Lab, empresa de segurança digital, listou os 15 malwares mais influentes da história até o momento, mostrando a evolução dos vírus nos últimos 26 anos. O primeiro vírus para computadores surgiu em 1986, chamava-se Brain e se espalhava ao gravar um código no setor de inicialização de disquetes. Também na década de 1980, dois anos depois do Brain, apareceu o worm Morris, que infectou cerca de 10% dos computadores conectados à internet na época - aproximadamente seis mil máquinas.

Em 1992 surgiu o primeiro software malicioso a repercutir na mídia, o Michelangelo. Já o Concept, de 1995, foi o primeiro macro vírus da história. E inaugurando a era da distribuição massiva de malwares em escala global, veio o Melissa, em 1999. A partir dos anos 2000, mais vírus poderosos entraram em cena. Em 2003, o Slammer gerou uma epidemia mudial e no ano de 2004 apareceu o Cabir, que se propagava via Bluetooth. O primeiro vírus para Mac OSX, sistema operacional da Apple, surgiu em 2006 e ficou conhecido como Leap. Outro pioneiro, só que na disseminação através de servidores C&C (comand and Control), veio em 2006 com o nome Storm.

O ano de 2008 teve dois casos importantes de malwares: o Koobface, primeiro vírus para a rede social Facebook; e o Conficker, que resultou em uma das maiores epidemias da história, atingindo empresas, organizações governamentais e computadores domésticos em mais de 200 países. Um cavalo de Troia de SMS chamado FakePlayer, voltado a atacado o sistema operacional móvel Android, do Google, apareceu em 2010. No mesmo ano, o Stuxnet direcionou um ataque em sistemas Scada (Supervisory Control and Data Acquisition), sinalizando para o conceito de guerra virtual.

No ano passado veio o Duqu, um sofisticado cavalo de Troia que coleta dados de inteligência de seus alvos. E em 2012 foi descoberto o Flame, outro malware avançado usado como "arma virtual" para realizar ataques a organizações de diversos países. A Kaspersky elaborou a lista em comemoração ao seu 15º aniversário de fundação, completado neste ano.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também