Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

SÃO GABRIEL DO OESTE

Empresa investe R$ 8,5 milhões em expansão

6 JUN 2011Por da redação08h:54

Comemorando 20 anos de funcionamento a indústria agropecuária Jully, de Armazenagem e Processamento de Grãos, inaugurou semana passada um projeto de expansão de R$ 8,5 milhões, em São Gabriel do Oeste. O governador André Puccinelli e a secretária Tereza Cristina Dias (Produção, Indústria, Comércio e Turismo) prestigiaram a cerimônia ao lado de produtores rurais e lideranças da região norte.

“É uma satisfação vermos empreendimentos que resultam em cada vez mais melhorias para a economia do nosso Estado e distribuição de renda”, afirmou André, exaltando a disposição dos empreendedores e defendendo uma reforma tributária que desonere quem produz e dê condições de desenvolvimento para todos os estados.

A Jully agropecuária investiu na ampliação e modernização da estrutura existente, incrementando o segmento de serviços de transporte, armazenagem e processamento de grãos, e retomando a produção de nutrição animal. “É uma unidade moderna, com capacidade de processamento rápido e eficiente para que possamos acompanhar a evolução tecnológica das lavouras”, explicou o gerente administrativo, Carlos Eduardo Rolim.

Com a retomada da linha fabril nutricional para animais, a empresa, conforme Rolim, quer “agregar valor às matérias primas aqui cultivadas, em condições de oferecer produtos com excelente relação custo-benefício, promovendo os resultados crescentes da já respeitada pecuária do nosso Estado”. Para o especialista responsável por esse setor na empresa, Luiz Orcírio Fialho de Oliveira, os mais de R$ 8,5 milhões aplicados na modernização e expansão demonstram a confiança daqueles que acreditaram na capacidade do trabalho, na dedicação dos colaboradores, na parceria com os clientes e principalmente na força do agronegócio. Ele aponta que a conquista da empresa veio "através desse gesto de confiança e contando com apoio do Governo do Estado, principalmente da Seprotur, e do Banco do Brasil, através dos recursos originados do FCO [Fundo Constitucional do Centro-Oeste e Finame [linha de crédito para financiamento industrial]”. Conforme Fialho de Oliveira, os recursos do FCO destinados para a Jully no exercício do ano passado foram os maiores do Estado.

Leia Também