Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Empresa é isenta de multa se sindicato atrasar em rescisão

2 AGO 10 - 06h:53
BRASÍLIA

A multa prevista na Consolidação das Leis do Trabalho em decorrência do atraso na quitação das verbas rescisórias pelo empregador não se aplica quando o caso é de demora na homologação da rescisão pelo sindicato. Com esse entendimento, a 4ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho determinou a exclusão da multa da condenação que havia sido imposta à Spal Indústria Brasileira de Bebidas S.A.
O trabalhador afirmou ter sido avisado antecipadamente da demissão. Ele disse que a empresa efetuou o depósito das verbas rescisórias, no valor de R$ 9,1 mil, em sua conta corrente no prazo legal de dez dias. No entanto, ele pediu que a Spal lhe pagasse a multa do artigo 477, parágrafo 8º, da CLT, porque somente depois de um mês foi feita a homologação da quitação pelo sindicato de classe, quando a empresa lhe entregou as guias para levantamento do depósito recursal e do seguro-desemprego.
No recurso que interpôs ao Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, o ex-empregado da Spal conseguiu a condenação da empresa ao pagamento de horas extras, 13º salário, férias e 1/3, FGTS mais 40%, verbas rescisórias e a multa do artigo 477 da CLT, entre outros itens.
A indústria de bebidas recorreu ao TST somente quanto à multa. Ao analisar o recurso, a 4ª Turma deu razão à empresa.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

COMITIVA

OCDE conclui missão no Brasil sobre medidas de combate à corrupção

Cuesta deixa escapar acerto do Internacional com o técnico argentino Coudet
FUTEBOL

Cuesta deixa escapar acerto do Internacional com o técnico argentino Coudet

ASILADO NO MÉXICO

Em novo dia de protestos, Evo diz que pode voltar à Bolívia para 'pacificar' país

BRICS

Reformas vão tornar Brasil mais atrativo a negócios, diz Bolsonaro

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião