TRÊS LAGOAS

Empresa doa viaturas para Polícia Militar

Empresa doa viaturas para Polícia Militar
02/03/2011 16:25 - Ana Maria Barbosa, Três Lagoas


A Polícia Militar de Três Lagoas recebeu duas novas viaturas, na manhã de ontem (2), doadas pela empresa Eldorado Brasil, dentro das ações de apoio à infraestrutura e segurança pública previstas no Plano Básico Ambiental (PBA), assinado pela empresa durante o processo de licenciamento da fábrica de celulose.

As caminhonetes Mitsubishi L-200 foram adaptadas para rondas e estão equipadas com cela e demais caracterizações para uso da Rondas Ostensivas Táticas do Interior (Rotai). O convênio com a PM prevê ainda o fornecimento de combustível até o final de 2012 e soma R$ 250 mil.
Segundo o gerente geral da fábrica de celulose em implantação, Guilherme Araújo, a empresa está se antecipando a possíveis impactos que possam ser causados durante a construção, quando está prevista a chegada de oito mil trabalhadores a Três Lagoas. O PBA da empresa ainda incluirá medidas de proteção à fauna e flora, além de ações em benefício da saúde, assistência social e educação.

A cerimônia de entrega dos veículos contou com a presença do gerente da Eldorado, da prefeita Márcia Moura, de vereadores e da representante do Instituto do Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) em Três Lagoas, Delia Javorka e do comandante do 2º Batalhão, Wilson Sérgio Monari.

A PM de Três Lagoas receberá mais cinco viaturas hoje (3), entregues pelo governador André Puccinelli, na capital.
 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".