Sábado, 17 de Fevereiro de 2018

RESTRIÇÃO DO CRÉDITO

Emergentes serão mais afetados com regras do BC

7 DEZ 2010Por Infomoney00h:01

Quem está pensando em financiar um veículo deve planejar melhor o orçamento, já que as novas regras de concessão de crédito para a compra do carro, divulgadas pelo Banco Central na última semana, começaram a valer ontem.

De maneira geral, as regras encarecem o crédito. E deve afetar, principalmente, as classes emergentes, na avaliação do economista da Agência de Varejo Automotivo MSantos Ayrton Fontes. “Os consumidores que querem comprar o primeiro carro zero serão os mais atingidos devido ao aumento da entrada para a compra do veículo e pelo aumento dos juros do financiamento”, afirma.

Pelas medidas, para empréstimos com prazo de 24 a 36 meses, as instituições financeiras deverão exigir uma entrada de, pelo menos, 20% do valor do carro. Para prazos de 36 a 48 meses, a entrada deve ser de 30% e prazos de 48 a 60 meses exigem uma entrada de 40%. Com isso, os consumidores que planejavam comprar um veículo deverão poupar mais.

 

Com as medidas, o movimento nas concessionárias registrou aumento de 20% no último fim de semana, na comparação com o fim de semana anterior. "Houve uma antecipação da compra devido aos anúncios", afirma Fontes. Segundo ele, esse movimento ficou concentrado no sábado.

 

Juros
De acordo com as medidas do BC, para financiamentos com prazos acima de 24 meses, o FPR (Fator de Ponderação de Risco) passa de 100% para 150%, o que eleva o requerimento de capital de 11% para 16,5%. Isso significa que, para emprestar, os bancos deverão ter mais dinheiro em caixa – o que reduz o montante disponível para crédito. Essas medidas foram anunciadas com o objetivo de conter o consumo e para segurar as elevações da inflação.

Com menos crédito na praça e com demanda ainda alta, as taxas de juros para financiamentos devem subir. E mais uma vez, os consumidores emergentes devem ser prejudicados. “Isso restringirá ainda mais o acesso dessas pessoas aos carros zero quilômetro”, explica Fontes. Ele ainda explica que o mercado de usados será tão afetado quanto o de novos, pois os juros nesse mercado já são mais altos.

As novas tabelas das taxas devem ser divulgadas nesta segunda-feira (6) pelos bancos. No entanto, o economista acredita que as taxas deverão ser alinhadas ao longo da semana. “Financiamento de veículos é um filão para os bancos e a concorrência entre eles nesse mercado é muito forte”, afirma. “Isso pode segurar um pouco o índice de aumento dos juros”.

Consórcios
Com o aumento da dificuldade no financiamento de carros, o sistema de consórcios deve ser o novo filão paras as classes emergentes adquirirem o primeiro zero.

"Deve haver um grande aumento nas vendas de cotas de consórcio para as classes mais baixas, uma vez que elas não devem conseguir pagar a entrada, mas dispõem de R$ 500, R$ 600 para pagar uma mensalidade", afirma Ayrton.

O economista explica que sempre que ocorrem mudanças nas taxas de juros para financiamentos, aumenta a procura por cotas.
 

Leia Também