Campo Grande - MS, terça, 14 de agosto de 2018

Tragédia no Rio

Em quatro dias, escola de Realengo tem 20 pedidos de transferência

19 ABR 2011Por r700h:00

O diretor da Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, na zona oeste do Rio de Janeiro, Luis Marduk, disse nesta segunda-feira (18) que em quatro dias recebeu 20 pedidos de transferência de alunos para outras instituições. Segundo ele, alguns pais chegaram a desistir de tirar os filhos do colégio. O diretor espera que um número grande de alunos retorne na terça-feira (19), dia previsto para a volta de todas as turmas.

- Acredito que sejamos surpreendidos amanhã com este retorno. Diante de todas as manifestações que eu vi desde o dia 7 na escola a procura de recomeço é muito grande. Não vamos retardar este processo. Estaremos de braços abertos para quando qualquer aluno quiser voltar. O objetivo é avaliar a resposta psicológica de cada ator deste massacre antes das aulas recomeçarem.

Ainda de acordo com Marduk, ainda não há uma data definida para a volta às aulas.

A mãe de uma das vítimas do massacre, Renata dos Reis Rocha, 35 anos, voltou ao colégio nesta segunda-feira para buscar o histórico da filha Brenda Rocha Tavares, 13 anos, que sobreviveu ao ataque. Ela disse que a adolescente está traumatizada e não quer mais voltar para a escola.

- Minha filha está traumatizada e nervosa. Ela não quer mais nem pegar os cadernos.

Renata perdeu a filha Bianca Rocha Tavares, 13 anos. A gêmea Brenda foi baleada e permanece internada no Into (Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia).

Nesta segunda-feira, quatro turmas de alunos do 9º ano retornarão ao colégio para atividades culturais e artísticas, como oficinas de poesia, de leitura e pintura. De acordo com o diretor, os estudantes selecionarão mensagens de esperança para fortalecer o retorno à escola.

- A partir de 13h, haverá atividades artísticas, de poesia e leitura. Os alunos selecionarão frases de livros com mensagens de paz e esperança para fortalecer nosso retorno.

A secretária municipal de Educação do Rio, Claudia Costin, chegou à escola às 10h10 para uma reunião com a comissão de pais de alunos, estudantes e professores.

Leia Também