segunda, 16 de julho de 2018

Em protesto, assentados cobram assistência

17 SET 2010Por 19h:17

Sílvio Andrade, Corumbá

Assentados em terras não agricultáveis e com deficiência hídrica, nos anos 90, centenas de parceleiros dos projetos Taquaral, Tamarineiro, Paiolzinho e Urucum realizaram uma “marcha dos esquecidos” ontem pelo centro de Corumbá, em protesto pelo abandono dos governos federal, estadual e municipal. O movimento teve a adesão também dos assentamentos São Gabriel, 72 e Mato Grande.
Organizado pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Comissão Pastoral da Terra e lideranças dos camponeses, a marcha encerrou-se no Ministério Público Federal, onde foi entregue um documento pedindo intervenção para garantir investimentos em infraestrutura nos assentamentos. Além da falta de água, os sitiantes apontam o abandono das estradas.
Em carta aberta à população e às autoridades, os assentados cobram providências aos governos para dar sustentabilidade aos projetos de colonização, sendo o abastecimento de água a prioridade. Os parceleiros sugerem a captação de água do Rio Paraguai por meio de aqueduto.

Leia Também