Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ELEIÇÕES MUNICIPAIS

Em MS, quase 7 mil candidatos estão de olho em 1,7 milhão de eleitores

Em MS, quase 7 mil candidatos estão de olho em 1,7 milhão de eleitores
08/07/2012 10:30 - Roberta Cáceres


Quase 7 mil candidatos a prefeito e vereador estão de olho no voto de 1,774 milhão eleitores de Mato Grosso do Sul. Só em Campo Grande, mais de 400 estarão disputando o voto de 561,544 mil para a eleição do sucessor do prefeito Nelsinho Trad (PMDB) e a ocupação de 29 cadeiras na Câmara Municipal. A Justiça Eleitoral já homologou 5.252 pedidos de registro de candidaturas, restando 1.379 ainda em fase de exame.

A disputa mais acirrada pode ser em Campo Grande com sete candidatos brigando pela sucessão do prefeito Nelsinho Trad. Os governistas apostam na candidatura do braço direito do governador André Puccinelli, deputado federal Edson Giroto (PMDB). Os petistas buscam a primeira vitória na Capital com o deputado federal Vander Loubet, o PSDB saiu da sombra do PMDB para tentar conquistar a prefeitura com o deputado federal Reinaldo Azambuja, o PP insistirá com o radialista e deputado estadual Alcides Bernal, enquanto os nanicos jogarão com o professor Sidney Melo (PSOL), vereador Marcelo Bluma (PV) e Suel Ferranti (PSTU).

De acordo com informações do TRE, do total de mais de 1,7 milhão de eleitores cadastrados em Mato Grosso do Sul, cerca de 38 mil são jovens menores de 18 anos. Esse número representa aumento de quase 10 mil eleitores com idade entre 16 e 17 anos em relação às eleições de 2010, quando esse número girava em torno de 29 mil. 

Leia mais no Jornal Correio do Estado

Felpuda


Dez vereadores da Capital mudaram de partido na tentativa de encarar a reeleição ou, dependendo do caso, disputar a vaga de vice-prefeito. Legendas foram “engordadas”, outras entraram em estado de inanição e outras ainda simplesmente sumiram do mapa. Que ninguém ouse perguntar a quem “trocou de camisa” qual a linha programática dos partidos em que agora estão filiados. Seria para eles, digamos, questão de pouca importância. Política tem dessas coisas...