Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Em MS, mulheres são destaque em renda e empreendedorismo

Em MS, mulheres são destaque em renda e empreendedorismo
08/03/2014 00:00 - DA REDAÇÃO


      Luzia trabalhava em concessionária e hoje comanda oficina mecânica (Foto: Ademir Almeida)

Neste Dia Internacional da Mulher, a classe feminina de Mato Grosso do Sul pode comemorar o aumento da participação no mercado de trabalho local e a maior atuação no campo do empreendedorismo. Pesquisa divulgada ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que o Estado tem o segundo maior índice do Brasil de mulheres que atuam no mercado de trabalho formal, com 51,55%, e perde somente para o Rio Grande do Sul (52,8%). Os dados são de 2012 e mostram um crescimento de 3,45% em comparação com 2002, segundo reportagem na edição deste sábado (08) do jornal Correio do Estado.

 

Em relação ao rendimento médio mensal, os trabalhos das mulheres ocupadas em MS ficam em torno de R$ 1.237,00, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2012. O valor fica 33% abaixo do rendimento médio mensal dos homens sul-mato-grossenses, que é de R$ 1.853,00.

Empreendedoras

A participação delas no mundo dos negócios também cresceu em dez anos cerca de 14%, segundo o Anuário das Mulheres Empreendedoras 2013, feito pelo Sebrae/MS (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas). Em 2011, de 310 mil empregadores e empresários por conta própria, 103 mil eram mulheres empreendedoras.

Na região Centro-Oeste, as mulheres representam 56,6% dos empreendedores iniciais (com até três anos e meio de atividade) em 2013 no Centro-Oeste, segundo pesquisa feita pela Global Entrepreneurship Monitor (GEM).

O índice é 8,8% maior do que o registrado no ano anterior, e está mais de quatro pontos percentuais acima da média nacional atual de empreendedoras do sexo feminino. Em relação a empreendedores estabelecidos, que têm negócio com mais de 42 meses de atividade, a média de mulheres no Centro-Oeste é de 44%, também acima dos 42,2% da média nacional.

Se empreender já é tarefa difícil em qualquer situação, imagine quando isso acontece em um campo profissional dominado geralmente por homens. Esse foi o primeiro desafio da empresária Luzia Trajano, 50 anos, que em 2002 abriu uma empresa mecânica para veículos pesados em Dourados, a 225 km de Campo Grande. Mas ela garante que não enfrentou preconceito por ser mulher. 

Paixão pelo trabalho e filhos

 

Dois filhos pequenos, um de cinco anos e outro de dois meses, uma casa e uma empresa para cuidar. Essas são as tarefas diárias da empresária Anaíra Mariniello (foto), 27 anos, sócia-proprietária há quatro anos de uma lavanderia em Campo Grande. Ela confessa que a correria é grande para dar conta de todas as funções, mas garante que é realizada tanto na vida pessoal quanto na profissional. A reportagem é de Gabriela Pavão e a foto de Valdenir Rezende.

Felpuda


Partido está aos poucos montando a que vem sendo chamada de “chapa do quartel”, pois os pré-candidatos são oriundos da caserna. Há quem diga que os dirigentes da legenda ainda estão querendo pegar carona no “fenômeno Bolsonaro”, esquecendo-se que o presidente, embora vindo da área militar, está na política há 30 anos e o seu programa de governo agradou 57,7 milhões de eleitores. Dizem que tchurminha será obrigada a adicionar mais ingredientes no currículo, senão...