Quarta, 21 de Fevereiro de 2018

ELEIÇÕES 2010

Em MS, eleitor pode votar em apenas 6 dos 333 candidatos

3 OUT 2010Por 00h:00

Fernanda Brigatti

Depois de 87 dias de campanha, hoje é o dia em que 1,7 milhão de eleitores escolherão seis, entre os 333 candidatos inseridos nas urnas eletrônicas em Mato Grosso do Sul, novos nomes que o representará no Executivo e Legislativo Estadual e Federal.
Dessas centenas de candidatos, cada cidadão que comparecer às zonas eleitorais hoje ajudará a eleger os 24 novos deputados estaduais, oito novos deputados federais, dois senadores, um novo governador e o presidente da República.
Nos últimos dias, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Mato Grosso do Sul concluiu os últimos preparativos para uma eleição tranquila. Ainda ontem, a partir do meio-dia, a Justiça Eleitoral oficializava o sistema de gerenciamento de apuração e totalização das eleições deste ano.
O presidente do TRE, desembargador Luiz Carlos Santini, destacou, em pronunciamento, o trabalho da Justiça Eleitoral para garantir a segurança e a liberdade de escolha. “Os eleitores do Estado devem votar com toda tranquilidade possível, pois nós garantimos o sigilo do voto e lembramos que estaremos com equipes de fiscais e forças policiais espalhadas por todas as cidades para coibir qualquer irregularidade”, afirmou Santini.
O desembargador também ressaltou que o eleitor deve votar segundo a própria convicção e não se deixar influenciar por pressões externas. “O voto é o instrumento mais importante do cidadão para construir e melhorar a sua cidade, seu Estado e o seu País”, destacou.

Candidatos
Em 2010, o eleitor escolherá o sucessor do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, entre nove candidatos que disputam o Planalto neste ano. Concorrem ao pleito Dilma Rousseff (PT), José Serra (PSDB), Marina Silva (PV), Plínio Arruda (PSOL), José Maria Eymael (PSDC), Rui Costa Pimenta (PCO), Ivan Pinheiro (PCB), Zé Maria (PSTU) e Levy Fidelix (PRTB).
Na disputa em Mato Grosso do Sul, se enfrentam novamente, depois de 16 anos, o ex-prefeito de Campo Grande e atual governador André Puccinelli (PMDB) e o ex-governador José Orcírio dos Santos (PT). Neste ano, também entrou na briga da sucessão estadual o nanico Nei Braga (PSOL).
Ao Senado são quatro os candidatos que disputam as duas vagas de um mandato de oito anos. O senador Delcídio do Amaral (PT) disputa a reeleição e traz na mesma chapa o deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT). Na concorrência, o deputado federal Waldemir Moka (PMDB) e o vice-governador Murilo Zauith (DEM). Para ocupar as oito vagas de Mato Grosso do Sul na Câmara dos Deputados, 70 candidatos colocaram seus nomes ao crivo do eleitor. À Assembleia Legislativa, 246 disputam 24 vagas.

Leia Também