Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Em meio aos fracassos da TV aberta, TV paga cresce 11,31%

Em meio aos fracassos da TV aberta, TV paga cresce 11,31%
10/02/2014 02:00 - diario24horas


De acordo com os novos dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), os serviços de TV por assinatura no Brasil registraram um notável crescimento de 11,31% em 2013 em relação ao ano anterior, atingindo 18,02 milhões de assinaturas no mês de dezembro.

Naquele mês, a liderança do mercado de TV por assinatura foi conquistada pelo grupo Net/Embratel, com uma incrível fatia de 53,61% (9,6 milhões de acessos), com a Sky/Directv (29,81%) logo em seguida, na segunda colocação. Os serviços da Oi (4,60%) fecham o pódio na terceira posição, enquanto GVT (3,76%) e Telefônica (3,30%) completam a lista de quarto e quinto lugar, respectivamente. 

Este crescimento deve-se muito ao fato de que a televisão aberta está enfrentando uma queda de desempenho em suas programações, a exemplo de alguns fracassos como a novela “Malhação”, que perdeu mais da metade de seu público em dez anos. A emissora, aliás, também enfrenta crises com “Joia Rara” e “Além do Horizonte”. 

Após o sucesso de “Amor à Vida”, a nova novela das 21h da emissora, “Em Família”, também está com dificuldades de atrair os espectadores, se firmando como uma das piores audiência da história no horário. Até mesmo o programa Video Show está com baixa audiência. 

Na Record, nem mesmo a renomada série “Breaking Bad”, que chegou a bater recordes de audiência nos Estados Unidos, conseguiu alavancar a audiência da emissora de Edir Macedo no horário pós 23h, competindo de igual para igual com o SBT, e deixando  Globo bem à frente. 

O Sudeste é região brasileira com maior concentração de assinantes de TV paga, com 11,11 milhões em dezembro. A segunda maior concentração está concentrada na região Sul, com 2,74 milhões de acessos. O Nordeste vem logo em seguida, com 2,12 milhões de assinantes, o Centro-Oeste, com 1,25 milhões, e o Norte, com 785 mil.

Felpuda


Ao que tudo indica, partido teria criado “racha” apenas visando jogar para a plateia, e, assim, quem estava com a corda toda anunciou que se prepara para o desembarque. Nos bastidores o que se ouve é que o tal fundo partidário seria o motivo da desavença e que quem nunca comeu mel quando come se lambuza. Só que não. A estratégia é continuar “dono” da atual legenda e “tomar a frente” de partido que está em fase embrionária. Tudo inspirado na “velha política”.