Quarta, 21 de Fevereiro de 2018

Em meio à "guerra santa", Serra distribui santinho citando Jesus

16 OUT 2010Por 02h:43

SÃO PAULO

Em meio à “guerra santa” que vem sendo travada neste segundo turno das eleições presidenciais, em torno de temas como a legalização do aborto e a união civil entre pessoas do mesmo sexo, a campanha do candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, distribuiu ontem, em evento com professores realizado na capital paulista, um santinho com a foto do presidenciável e a seguinte frase: “Jesus é a verdade e a justiça.”
Produzida em um cartão plastificado, a mensagem aparece com a assinatura do candidato no verso e, na frente, ao lado da foto de Serra, o slogan do tucano neste pleito: “Serra é do bem. Vote 45”. No final do encontro Educadores com Serra, todo o material colocado à disposição dos professores na entrada do Espaço das Américas, na zona oeste da cidade, já havia sido recolhido. O local foi decorado com balões nas cores do PSDB (azul e amarelo).
O presidenciável tucano recebeu ontem de professores do Estado um manifesto de apoio à sua candidatura, com cerca de 250 assinaturas dos que participaram do evento em homenagem ao Dia do Professor. Em aproximadamente 20 minutos de discurso, Serra disse que o PSDB construiu em São Paulo um Estado com os melhores indicadores educacionais e listou os programas desenvolvidos pela gestão tucana. “Vocês não imaginam o alívio que eu tenho em saber que o Alckmin será o governador a partir de 1º de janeiro”, disse.
O tucano criticou o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) por fazer uso político da categoria e defendeu o diálogo com os educadores “e não a manipulação, como acontece hoje”. Se eleito, o candidato prometeu fazer “uma revolução silenciosa na área da educação.” Participaram do evento professores da rede pública municipal e estadual da capital paulista e de cidades do interior.
No decorrer dos discursos, tucanos e apoiadores se revezavam no microfone. “Vamos tirar esses mentirosos da frente (das pesquisas)”, defendeu o secretário municipal da Educação, Alexandre Schneider, em referência à liderança da petista Dilma Rousseff nas sondagens de intenção de voto. “Nós não somos da exclusão, de quem quer dividir a sociedade, o Brasil. O Serra é o candidato da união”, disse o governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

Leia Também