Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

Em meio a denúncias, Moka vence prévias

8 MAR 10 - 09h:07
Em meio a denúncias de compra de votos e de uso da máquina pública, o deputado federal Waldemir Moka venceu as prévias do PMDB e será o candidato do partido ao Senado, nas eleições de outubro. Com 69% da preferência dos filiados, ele venceu ontem o senador Valter Pereira. O deputado conquistou 10.501 adesões contra 4.548 do senador. Votos brancos somaram 43 e nulos, 121. Em Campo Grande, Moka fez 1.583 dos 2.087 votos e Valter, 485. As prévias mobilizaram 15.213 dos 40 mil filiados do PMDB no Estado e movimentaram o centro de Campo Grande. Com bandeiras nas mãos, militantes ocuparam parte da Avenida Afonso Pena e protagonizaram troca de acusações. O bate-boca envolveu até a primeira-dama da Capital, A ntonieta Trad, defensora da candidatura de Moka, e o prefeito de Terenos, Beto Pereira (PSDB), filho do senador. Os ânimos ficaram exaltados porque eles se acusaram de invadir o espaço de campanha um do outro na avenida. No entanto, a discussão levou poucos minutos e em nada se comparou às denúncias de compra de votos e de uso da máquina pública nas prévias. Segundo Valter Pereira, “oncinhas” (notas de R$ 50) foram distribuídas em troca de voto. “Basta atravessar a rua para observar a compra de votos escancarada”, denunciou. Valter Pereira ainda acusou a primeira-dama de Campo Grande e o “primeiro-damo” de Três Lagoas, Eduardo Rocha (PMDB), de coagirem servidores das respectivas prefeituras a votarem no deputado federal. “A máquina foi usada e a primeira-dama da Capital chefiou o esquema de corrupção”, afirmou. “Já em Três Lagoas, o primeirodamo coordenou a coação”, acrescentou. Moka rebateu a denúncia, acusando Valter de procurar desculpa para explicar a derrota. “Ele já está atrás de justificativas para o resultado”, comentou na manhã de ontem. “Nas sete eleições que disputei, nunca mexi com isso (compra de votos)”, completou. Já A nton ieta Trad não quis polemizar. “Só tenho uma coisa a dizer: o Valter é uma pessoa correta e não falou nada sobre essas denúncias para mim. Portanto, não sei nada disso”, ressaltou. Eduardo Rocha negou as acusações. Por outro lado, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Jerson Domingos (PMDB), reconheceu a ocorrência de irregularidades. “Diz que houve até indução de votos”, contou. O presidente regional do PMDB, Esacheu Nascimentou, informou que apenas diante do registro da denúncia, acompanhado de provas, poderá tomar as devidas providências. Porém, a princípio, Valter não pretende oficializar as acusações. “Me reservo a tomar a atitude apropriada no momento certo”, disse. “Fico envergonhado por conta deste procedimento interno”, complementou. “Mas seguramente não vou digerir um resultado contaminado”, finalizou.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Avatar sobre rodas: Mercedes-Benz Vision AVTR
CORREIO VEÍCULOS

Avatar sobre rodas: Mercedes-Benz Vision AVTR

Uma de 1,6 mil vítimas de violência doméstica na Capital, florista é baleada por ex-namorado
CASO PASSIONAL

Uma de 1,6 mil vítimas de violência doméstica, florista é baleada por ex-namorado

Frigorífico será 1ª indústria de município de MS com investimento de R$ 2,5 milhões
RIO NEGRO

Frigorífico será 1ª indústria de município de MS com investimento de R$ 2,5 milhões

Alimentação por sonda não dá certo e siamesas voltam à "dieta zero"
BOLETIM

Alimentação por sonda não dá certo e siamesas voltam à "dieta zero"

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião