Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Em Dourados, tendência de recuo nas cotações

27 JAN 10 - 07h:42CÍCERO FARIA, DOURADOS
Acompanhando o mercado internacional, a soja na região de Dourados tem tendência negativa atualmente e continuará com esse viés quando a safra começar a ser colhida em grande escala no Brasil. A grande produção mundial puxada pelos Estados Unidos já teve impacto nas cotações do grão. Somente no município de Dourados a estimativa é de que sejam colhidas 420 mil toneladas de soja, mas produtores ouvidos pelo Correio do Estado já reclamam dos preços sinalizados no pico da safra, em março. Mas essa é uma regra de mercado, como citou o diretor de uma corretora de commodities agrícolas em Dourados, Amarildo Palma. Ontem a saca, no disponível, estava cotada a R$ 35, equivalente a US$ 19,12 (no dólar a R$ 1,83), preço considerável razoável pelos agricultores, já que nesta safra os custos de produção caíram bastante, como resultado do efeito da crise internacional sobre os principais insumos agrícolas. Para março, o mercado da oleaginosa trabalha com a projeção de R$ 29 a saca, ou seja, seis reais a menos do que a cotação atual. Antes da colheita da safra recorde norteamericana, de 91,4 milhões de toneladas, segundo o último relatório do Departamento de Agricultura (USDA), o produto chegou a R$ 43 na praça de Dourados, no disponível. Palma lembrou que além da grande safra dos EUA, a Argentina deverá ter produção de 53 milhões de toneladas e o Brasil, ao redor de 65 milhões. “O mercado mundial terá soja para atender à demanda por bastante tempo. E isso pressiona os preços, seja aqui em Dourados como em outros países produtores”, destacou o corretor. Mas além dos preços em baixa, o produtor sul-matogrossense de soja tem outro obstáculo que deprime o seu lucro: a pauta do ICMS, extremamente alta, da Secretaria de Fazenda do Estado para vendas interestaduais. Hoje a saca de soja na hora da venda está fixada em R$ 52,80. Com isso, o produtor perde mais de um real pela diferença do imposto com o Paraná, para onde é escoada grande parte da produção para embarque no porto de Paranaguá. De acordo com os especialistas do setor de grãos, o Governo precisaria ajustar a sua pauta fiscal à realidade do mercado estadual.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Receita paga segunda R$ 27,3 milhões do Imposto de Renda em MS
RESTITUIÇÃO

Receita paga segunda
R$ 27,3 milhões do Imposto de Renda em MS

Confira ruas que serão interditadas no fim de semana
CAMPO GRANDE

Confira ruas que serão interditadas no fim de semana

Prefeitura irá retomar área doada para construção de cervejaria
FALTA DE ACORDO

Prefeitura irá retomar área doada para construção de cervejaria

Prefeitura vai abrir procedimento administrativo contra exagero de guardas municipais
PROTESTO DE PASSAGEIROS

Prefeitura vai abrir processo contra exagero de guardas municipais

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião