domingo, 15 de julho de 2018

Congresso

Em discurso, Dilma promete empenho e pede colaboração

2 FEV 2011Por r719h:42

A presidente Dilma Rousseff mandou nesta quarta-feira (2) um recado aos parlamentares durante o discurso que fez no Congresso por ocasião da abertura do ano legislativo. Ela reiterou o compromisso do Executivo para levar adiante a tão prometida reforma política, mas sinalizou que precisará de cooperação.

- Trabalharemos em conjunto com esta casa para a retomada da agenda da reforma política. São necessárias mudanças que fortaleçam o sentido programático dos partidos brasileiros e aperfeiçoem as instituições, permitindo mais transparência ao conjunto da atividade pública.

Após ser aplaudida pela fala, Dilma repetiu o trecho em que se referiu à reforma política, indicando a ênfase que pretende dar ao tema. A presidente ressaltou também a importância da reforma tributária, com a qual quer reduzir impostos para setores importantes da economia brasileira.

- A reforma tributária é também tema essencial, para que o sistema tributário seja simplificado, racionalizado e modernizado, apontando para uma base de arrecadação mais ampla e com a desoneração de atividades indutoras do crescimento, em especial dos investimentos, assim como dos bens de consumo popular.

Ao falar da inserção do Brasil no exterior, Dilma mencionou como objetivos de seu governo a defesa da paz, da estabilidade democrática e o respeito aos direitos humanos. Também reafirmou algumas das principais bandeiras que nortearam a política externa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, como a democratização dos fóruns multilaterais, como a ONU (Organização das Nações Unidas), e a integração com os vizinhos da América do Sul.

- O Brasil reitera, com veemência e firmeza, a decisão de associar seu desenvolvimento econômico, social e político ao da América do Sul. Nos fóruns multilaterais, defenderemos políticas econômicas saudáveis e equilibradas. Continuaremos defendendo a reforma dos organismos de governança mundial, em especial as Nações Unidas e seu Conselho de Segurança.

Pacto social

Antes, Dilma havia pedido aos deputados e senadores que, com o Executivo, façam parte de “um pacto social” pela erradicação da miséria no Brasil, sua principal promessa de campanha.

- Conclamo a todos a se reunir em torno de um pacto social nesse país, que acaba com a miséria, que amplie o acesso à saúde, à educação, e que proporcione aos brasileiros e brasileiras oportunidades reais de crescimento. Esse pacto pode ter como símbolo o esforço desse governo.

A presidente também voltou a afirmar que o governo federal irá trabalhar pela implantação de um sistema de prevenção de tragédias, “para que o que ocorreu na região serrana do Rio de Janeiro não se repita”.

- Para que nunca mais se repita essa tragédia das chuvas que nos roubaram centenas de vidas. [...] No Brasil, não podemos e não iremos esperar o próximo ano, as próximas chuvas, para chorar as próximas vítimas. [...]Investiremos pesadamente na geração de dados confiáveis que possam alertar as populações de áreas de risco.

Ao todo, mais de 800 pessoas morreram em decorrência das chuvas nos municípios da região serrana do Rio, em janeiro deste ano.

Leia Também