Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Em dia de otimismo, Bolsa encosta nos 70 mil pontos

17 MAR 10 - 07h:19
A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) conseguiu interromper ontem uma sequência de quedas influenciada pelo bom humor no mercado externo. Pela manhã, os negócios beneficiaram-se da redução dos temores com relação a um aperto monetário na China e também à situação da Grécia. À tarde, foi a vez de o Federal Reserve (Fed, banco central americano) reforçar a trajetória de alta das ações ao manter inalterada sua taxa básica de juros. O banco central americano, em uma decisão bastante aguardada pelo mercado, não surpreendeu negativamente, abrindo passagem para um dia de recuperação após três pregões de perdas. O Ibovespa, índice que reflete os preços das ações mais negociadas, teve avanço de 1,33% no fechamento, aos 69.942 pontos. O giro financeiro foi de R$ 5,18 bilhões. Nos EUA, a Bolsa de Nova York fechou em alta de 0,41%. Na Europa, a Bolsa de Londres viu o índice FTSE elevar-se em 0,47%. A ação preferencial da Vale, que movimentou sozinha R$ 583 milhões, valorizou-se em 2,41%, enquanto a ação ordinária ficou 2,49% mais cara, sendo alvo de R$ 118 milhões em negócios. Outros papéis que ajudaram a puxar a Bovespa foram: a ação preferencial da CSN, que teve ganho de 1,12%; a ação preferencial de Usiminas, que subiu 2,28%; e a ação preferencial da Gerdau, cujo preço aumentou em 2,71% no pregão de ontem. O dólar comercial foi negociado por R$ 1,768, em avanço de 0,16%. A taxa de risco-país marcou 187 pontos, número 0,53% acima da pontuação anterior. Entre as principais notícias do dia, o Federal Reserve (banco central americano) não surpreendeu o mercado financeiro mundial: manteve a “banda” de juros entre zero e 0,25% ao ano, como esperado. A autoridade monetária também não retirou a indicação de que vai manter as taxas em nível historicamente baixo ‘por um longo período’, como alguns temiam, apesar de apontar para uma melhora das condições econômicas. Ainda nos EUA, o Departamento de Comércio informou que o nível de construção de residências caiu 5,9% em fevereiro, sob influência das más condições climáticas que castigaram as regiões Nordeste e Sul do país. Copom O mercado está bastante dividido quanto ao resultado da reunião do Copom, que anuncia hoje a nova taxa básica de juros do País, atualmente em 8,75% ao ano. José Góes, economista da corretora Wintrade, espera que a taxa Selic seja mantida desta vez, mas salienta que o comitê vai “sinalizar em seu comunicado e na ata da semana que vem que o processo de alta dos juros deve se iniciar já na próxima reunião, em abril”. Ele ainda não acredita que a decisão seja unânime entre os diretores do BC, que compõem o Copom. Mesmo a corrente de economistas que posterga para abril o ajuste dos juros vê com preocupação os índices recentes de inflação. Mas esses analistas avaliam que o BC deve ser cauteloso antes de aumentar o custo do dinheiro num momento ainda delicado da economia mundial. Opinião diferente tem a equipe de analistas da Gradual Investimentos, que aguarda ajuste da Selic para 9,25% já nesta reunião. “Não acreditamos que a situação seja dramática no quadro inflacionário, no entanto não agir agora, nem que seja de forma discreta, pode tornar mais cara a manutenção das expectativas. Neste momento, o sensato é agir”, avalia os economistas da Gradual, em seu relatório diário sobre o mercado financeiro. E citam três razões principais para cobrar urgência do Copom: o aquecimento da atividade econômica, as projeções de inflação cada vez maiores, e a alta da inflação ao consumidor, cada vez mais afetada por vários fatores, e não apenas por um produto isolado, uma tendência vista como preocupante.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Felpuda

BRASIL

Envolvimento de agentes de saúde pode acelerar diagnóstico de câncer

BRASIL

Tratamento para doenças raras precisa de investimentos em pesquisa

BRASIL

Motorista embriagado invade lanchonete, atropela 4 e mata jovem

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião