Campo Grande - MS, domingo, 19 de agosto de 2018

DOURADOS

Em depoimento PF disse que atirou em PM para se defender

17 MAI 2011Por DA REDAÇÃO07h:44

Após 5 horas de depoimento o Policial Federal Leonardo de Lima Pacheco, acusado de matar na semana passada o policial militar Sandro Álvares Morel, esclareceu ao Delegado Humberto Peres de Lima, no 1° Distrito Policial, que quanto atirou no PM foi por legítima defesa, pois segundo Pachego, Morel teria atirado primeiro e que ele não sabia que era policial.

Pacheco chegou acompanhado por seu advogado Felipe Azuma, e durante todo o depoimento ele afirmou não saber que o homem que entrou em seu apartamento era um policial, pois ele tinha marcado um encontro com uma mulher pelo MSN, sendo esta a Guarda Municipal, mas que durante conversa na internet ele teria pensado que ela fosse uma prostituta, pois segundo ele durante as conversas ela teria pedido para que ele a pagasse pelo encontro. Quando ela disse que poderia ser paga com droga e aceitou e assim marcaram o encontro.

A mulher por sua vez teria ido até o local, acompanhada por dois policiais que estavam de serviço pela PM. Pacheco disse que quando ela chegou ao apartamento perguntou se tinha mais alguém, foi quando Morel entrou no apartamento mandando ele deitar no chão. Ele por sua vez achou que tinha caído em uma cilada e que eles quisessem assaltá-lo, pois segundo Pacheco o PM não estava uniformizado, tão pouco se apresentou como policial. Foi quando tentou pegar sua arma e o policial teria atirado duas vezes contra ele e para se defender também atirou.

Em seguida, quando Pacheco saiu do prédio e viu no pátio do condomínio a mulher conversando com outro homem, e o mesmo atirou contra ele, por sua vez também disparou o então PM José Pereira de Souza, que foi ferido na perna.
 

Com informações do site Dourados News

Leia Também