Campo Grande - MS, sexta, 17 de agosto de 2018

pantanal

Em Corumbá, Defesa Civil tenta retirar famílias de bairro onde onças teriam atacado criações

2 ABR 2011Por diario online16h:16

Equipe da Defesa Civil de Corumbá esteve hoje pela manhã em uma bairro de Corumbá onde onças teriam atacado uma criação de cabras, na tentativa de convencer moradores a deixarem o local. A informação foi publicada pelo site Diário Online e segundo a reportagem a maior preocupação é com as crianças, que são os mais vulneráveis. Segundo o Chefe da Defesa Civil, Isaque Nascimento, foram oferecidos abrigos em uma casa de acolhimento que fica no Centro da cidade onde teriam três refeições diárias e segurança.

Na área, que fica próxima a Baía do Tamengo, existem apenas duas residências. Em uma delas mora Waldemir da Silva Pereira, 48 anos, e sua esposa Celina Pereira. Foi no quintal deles que os felinos apareceram pela primeira vez e mataram 8 cabras e cabritos. Na noite seguinte, o ataque voltou a acontecer e mais um cabrito do rebanho foi perdido. Pouco metros mata adentro, mora a família de Rosani Vidal dos Santos, 33 anos.

"Nós não vimos a onça. Só escutamos um barulho no mato, mas aí os cachorros foram para cima e espantaram o bicho que estava ali", contou Rosani, que mora na região há mais de 17 anos. "Aqui sempre aparecem animais silvestres. Outro dia tinha uma anta enorme andando aqui perto. Mas onça nunca teve", continuou. Mãe de 7 filhos, ela recusou a ajuda da Defesa Civil. "Vou levá-los para a casa da minha mãe. Lá ela cuida deles enquanto eu e meu marido trabalhamos".

Captura

As duas casas ficam distantes uma da outra e não há contato visual por causa do mato. A área fica completamente escura durante a noite. Até o acesso dos moradores é difícil. Eles precisam descer por um barranco estreito que dá acesso ao bairro Generoso ou seguir, por uma pequena e sinuosa abertura no mato, até a Cacimba da Saúde, no bairro Cervejaria.

"Não tem nem para onde correr. O jeito é enfrentar o bicho se ele voltar a aparecer", afirmou Waldemir. Com o apoio de amigos e vizinhos, o criador de cabritos montou uma vigília para esperar as onças, que não apareceram na madrugada deste sábado. A Polícia Militar Ambiental montou uma armadilha na área para tentar capturar os felinos, que de acordo com Waldemir seriam dois adultos e um filhote. Na manhã deste sábado, uma equipe da PMA fez novas vistorias na área. Segundo Waldemir, técnicos da Embrapa Pantanal também foram até o local na sexta-feira e prometeram instalar mais armadilhas.


 

Leia Também