Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sábado, 15 de dezembro de 2018

Em cartaz: “Cartas para não chover”

13 MAI 2010Por 19h:21

Thiago Andrade

 

O Teatro Aracy Balabanian recebe às 20h de hoje, em mais uma edição do Cena Som, a Trupe da Casa com o espetáculo "Cartas para não chover". O trabalho reúne teatro, dança e música para falar do papel dos jovens nos dias atuais, tratando diversas questões cotidianas como a violência, a corrupção, o preconceito, a intolerância, entre outras. No palco, quem toma a cena são os carteiros, lembrando como as cartas são ótimas ferramentas para a comunicação, mesmo em tempos de tecnologia.

Com texto do ator e dramaturgo Artur Monteiro e encenação da atriz e diretora Lais Dória, o espetáculo estreou em novembro de 2009, na Concha Acústica Helena Meirelles. Na primeira versão, 100 alunos da Casa de Ensaio, espaço criado em 1996 pelos dois, subiam ao palco.

"Agora, o espetáculo conta com 15 atores, dos quais 10 fazem parte do grupo teatral Trupe da Casa e os outros são convidados especiais", explica Fabrício Barbosa, ator e educador de literatura no espaço. O grupo foi criado em 2007, por Lais, com ex-alunos do curso Brincaturas & Teatrices, da Casa de Ensaio.

 

Espetáculo

Composto por pequenas cenas, "Cartas para não chover" traz diversas histórias. "Mudamos muito, em certo momento, sou um carteiro e, em outro, sou um senhor", explica Fabrício.

A dinâmica no palco é acelerada, com música e dança sendo uma constante. Canções de grandes nomes da música nacional, como Chico Buarque e Caetano Veloso, se mesclam à encenação, transformando o espetáculo em um grande caleidoscópio de arte.

Os músicos de Mato Grosso do Sul também não ficam de fora, com destaque para Jerry Espíndola, que compôs a canção "Cartas para não chover" especialmente para o espetáculo. O nome, segundo Fabrício, é uma brincadeira. "Como iríamos estrear em um lugar aberto, tínhamos medo que chovesse", esclarece.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também