Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CIDADES

Em 6 meses, 639 mulheres vítimas de violência

Em 6 meses, 639 mulheres vítimas de violência
05/08/2010 07:25 -


Clodoaldo Silva, De Brasília
karine cortez, da redação

Metade das 639 mulheres vítimas de violência doméstica em Mato Grosso do Sul no primeiro semestre deste ano tiveram como agressores seus companheiros, apanharam diariamente e dependem financeiramente de quem as espancam. A constatação é da Secretaria de Políticas para as Mulheres por meio da Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180.
A titular da Delegacia de Atendimento à Mulher de Campo Grande, Lúcia Falcão, disse que além desses fatores, ainda existe a dependência emocional que mantém essas mulheres reféns dos companheiros. “Ela sofre as agressões, ele pede desculpas, diz que vai mudar, passa dias num ótimo relacionamento e a esposa acredita que isso é definitivo”, explicou Lúcia.
Das pessoas que entraram em contato com a Central de Atendimento à Mulher em todo o País, 14,7% disseram que a violência sofrida era exercida por ex-namorado ou ex-companheiro, 57,9% estão casadas ou em união estável e em 72,1% dos casos, as mulheres vivem junto com o agressor.
Em relação ao tipo de violência, a secretaria apontou que 319 mulheres sul-mato-grossenses (49,92%) foram agredidas fisicamente; 191 (29,89%) psicologicamente; 113 (17,68%) moralmente; sete sofreram agressões sexuais e nove patrimonial.

Felpuda


A continuar disparando tantas críticas ácidas contradizendo o seu partido, que em nível nacional ganhou até um ministério, político cá dessas bandas poderá ser colocado de escanteio e, se continuar nessa cruzada nada palatável para as lideranças, ser convidado gentilmente a “procurar o caminhão do qual caiu”, como se diz no popular. Os comentários são de que o dito-cujo age assim mais para ganhar holofotes. Esqueceu-se, pelo que se vê, que poderá ocorrer curto-circuito. Ui!