CUSTO-BENEFÍCIO

Eleitor de Campo Grande é o ‘mais caro’ do País

Eleitor de Campo Grande é o ‘mais caro’ do País
10/09/2012 00:00 - Juliene Katayama


O eleitor de Campo Grande é o “mais caro” do País. Os sete candidatos a prefeito da Capital arrecadaram até agora R$ 5,6 milhões. O “custo-eleitor” na capital sul-mato-grossense, com um total de 561,6 mil eleitores, é de R$ 9,99, quase três vezes a média entre as 26 capitais que é de R$ 3,90, segundo levantamento da Folha nas prestações de contas dos candidatos a prefeito de capitais.

O deputado federal Edson Giroto (PMDB), que disputa a Prefeitura de Campo Grande, lidera o ranking entre os candidatos com mais dinheiro em caixa por eleitor. O peemedebista já arrecadou R$ 3,5 milhões, o que representa R$ 6,35 para cada morador que pode ir às urnas em outubro.

O líder nacional em volume de arrecadação é apenas o 37º colocado nessa lista. Fernando Haddad, o candidato a prefeito de São Paulo pelo PT, tem até agora R$ 10 milhões nos cofres da campanha. Mas, diante dos 8,6 milhões de eleitores registrados da capital paulista, sua média de doações por eleitor fica em R$ 1,17.

Leia mais no jornal Correio do Estado.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".