Campo Grande - MS, sexta, 17 de agosto de 2018

luto

'Ele era um otimista, estava sempre de bem com a vida', declara Laucídio Coelho Neto

23 MAR 2011Por vivianne nunes e evelin araujo09h:16

“Lúdio foi um bom político, um homem que colocava o poder público, o poder da população, acima de tudo. Ele respeitava muito a função pública e botava muitas vezes seus interesses de lado. Esse foi o maior legado que ele deixou. Ele era um otimista, estava sempre de bem com a vida e acreditava no futuro político de Campo Grande e do Estado. Ele tinha um pensamento muito grande”. Desta maneira Laucídio Coelho Neto, o sobrinho mais velho do ex-prefeito, ex-senador e ex-presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul (Acrissul), Lúdio Martins Coelho, descreveu rapidamente a vida política do tio. Na Câmara de Vereadores, uma multidão de pessoas entre familiares, amigos, políticos e outros campo-grandenses admiradores do talento e simplicidade de Lúdio Coelho acompanharam a despedida durante o velório. “Ele era, realmente, uma pessoa muito simples e atendia todo mundo da mesma forma”, afirmou Laucídio.

Lúdio Martins Coelho faleceu às 14h20min desta terça-feira depois de ter passado quatro dias internado no hospital Proncor com complicações cardíacas. Segundo informações médicas, ele já sofria do coração há muitos anos e ainda na ocasião em que era prefeito chegou a passar por uma cirurgia para a implantação de uma ponte de safena.

A maneira como conduzia determinadas situações o fez conhecido pelo jeito simples de ideias inovadoras, conforme nota de pesar publicada pela Acrissul. “Gostava de ser chamado de administrador de fazendas, pecuarista e agricultor”. Nascido em 22 de setembro de 1922, na Fazenda Bela Vista, em Rio Brilhante, Lúdio Coelho foi homenageado pela Associação de Criadores recentemente com um selo comemorativo mas já por conta de seu estado de saúde não pôde comparecer a cerimônia.

Sua trajetória política enquanto um dos pioneiros do Estado, traz faltos marcantes como a presidência do Banco Agrícola de Dourados em 1959, a superintendência do Banco sul-mato-grossense Financial e a participação no processo de instalação do primeiro frigorífico de MS. Lúdio Coelho foi pioneiro na atividade do reflorestamento e integração lavoura pecuária.

Como prefeito de Campo Grande, Lúdio exerceu dois mandatos. Ele foi eleito pela primeira vez em 1983 e depois em 1989. Foi senador da República entre os anos de 1995 e 2003 e vice líder do PSDB no Senado. Também presidiu o PSDB em Mato Grosso do Sul e participou de inúmeras comissões e missões internacionais.

Despedida

A esposa e companheira, Nilda Coelho, ficou o tempo todo ao lado do caixão do marido entre amigos próximos e familiares. As  lágrimas não deixaram de correr nos rostos tristes e a comoção foi muito forte.

O corpo de Lúdio Martins Coelho foi levado por uma viatura do Corpo de Bombeiros às 10h rumo ao cemitério Parque das Primaveras, onde será realizado o sepultamento.

 

*Com informações da Acrissul

Leia Também