Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

'Ela teve ajuda de alguém', diz avô de menina Lavínia sobre amante

4 MAR 11 - 21h:00g1

O avô paterno da menina Lavínia, de 6 anos, Adão do Carmo de Oliveira, afirmou, nesta sexta-feira (5) que acredita que Luciene Reis teve a ajuda de alguém para entrar na casa. “Para chegar ao ponto que ela chegou, ela teve ajuda de alguém. Não tinha como ter acesso, tem que subir dois lances de escada”, disse Adão.

Lavínia Azeredo desapareceu na segunda-feira (28) e foi encontrada morta em um hotel de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, na quarta-feira (2). Luciene, que era amante do pai da menina, confessou o crime.

Em entrevista ao programa "Mais Você", os avós de Lavínia, afirmaram que não sabiam que o filho tinha uma amante. “Todo mundo ficou bobo quando soube do relacionamento”, diz Marta, avó da menina.

Quando a família se deu conta do desaparecimento de Lavínia e o filho apontou Luciene como suspeita, Adão foi, com a ajuda de vizinhos, até a casa dela em busca da neta. O avô da menina chegou a oferecer dinheiro à amante do filho. “É dinheiro que você quer? Eu consigo pra você”, disse Adão.

Polícia investiga se Luciene teve ajuda
Na quinta-feira (3), a polícia afirmou que investiga se Luciene teve ajuda de uma pessoa para retirar a menina de casa. De acordo com Luciano Zahar, da 60ª DP (Campos Elíseos), a saída da criança de casa ainda é uma incógnita. Ele explicou que no quarto de Lavínia tinha apenas um basculhante de pequena abertura. As portas também não tinham sinais de arrombamento.

"Estamos fazendo diligências para confirmar o que a Luciene disse em depoimento. Precisamos ainda descobrir como a criança saiu de casa e que argumento foi usado para isso. Acredito terminar este inquérito antes do prazo de 30 dias", disse Zahar.

A mãe, o pai e o avô paterno de Lavínia foram intimados a comparecerem na delegacia para um novo depoimento, marcado para o dia 14. O delegado pediu também a quebra de sigilo de dados dos familiares.

A princípio, Luciene foi indiciada por sequestro seguido de morte. Mas, com as investigações, a polícia entendeu que a amante premeditou a morte da criança, por isso, ela vai responder por homicídio triplamente qualificado e pode pegar mais de 30 anos de prisão.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Para enfraquecer Bolsonaro, PSL suspende cinco deputados
CRISE INTERNA

Para enfraquecer Bolsonaro, PSL suspende cinco deputados

Estado avança e chega ao 5º lugar <br>no ranking de competitividade
NACIONAL

MS avança e chega ao 5º lugar no ranking de competitividade

Confira ruas que serão interditadas no fim de semana
CAMPO GRANDE

Confira ruas que serão interditadas no fim de semana

IMPOSTOS DE RENDA

Receita Federal envia cartas a cerca de 330 mil contribuintes

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião