Domingo, 17 de Dezembro de 2017

segundo jornal:

Eike vende Hotel Glória, no Rio, a fundo suíço

1 FEV 2014Por Folhapress15h:03

Segundo o site do jornal "Valor Econômico", o Hotel Glória, no Rio de Janeiro, do empresário Eike Batista, foi vendido para o fundo suíço Acron.

A compra foi fechada hoje, segundo apurou o Valor PRO, serviço de informações em tempo real do "Valor". As negociações com o fundo tiveram início no segundo semestre do ano passado, segundo o jornal. Na época, o valor da transação foi anunciado em R$ 225 milhões.

Nenhum representante do Acron ou do grupo EBX, de Eike, foram localizados pela reportagem para comentar o assunto. As empresas também não deram declarações ao "Valor".

A compra do hotel foi o primeiro negócio do Acron no país. Especializado no setor imobiliário e com controle familiar, o fundo já fez investimentos em mais de 40 propriedades, incluindo hotéis e imóveis comerciais.

Reforma
Adquirido em 2008 por Eike Batista por cerca de R$ 80 milhões, o Hotel Glória começou a passar por reforma que originalmente deveria ficar pronta antes da Copa do Mundo, mas foi adiada e só deve sair em 2015. A obra contou com financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O hotel é um dos mais tradicionais da cidade e hospedou presidentes e celebridades estrangeiras. Eike mandou demolir a parte interna do edifício, preservando apenas a fachada original, e pediu recursos públicos para erguer uma nova e moderna construção.

O BNDES aprovou financiamento de R$ 190 milhões, quase dois terços do total, para que a obra ficasse pronta até a Copa de 2014. Deste valor, chegaram a ser liberados R$ 50 milhões, de acordo com o Portal da Transparência do governo federal.

Os trabalhos foram interrompidos, e o endereço que abrigava o antigo hotel cinco estrelas é hoje um canteiro de obras paradas, à espera de um novo investidor. Agora, o Glória corre risco de não ser reinaugurado nem para os Jogos Olímpicos de 2016 a previsão era abri-lo até o fim de 2011, dois anos e meio antes da Copa.

Até o site do hotel foi tirado do ar, por falta de pagamento informação confirmada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil. O preço cobrado para manter um domínio na rede brasileira é de apenas R$ 30 anuais.

No portal que regula a internet, o endereço hotelgloriario.com.br consta como congelado desde outubro. A página suspensa abrigava informações sobre o projeto de Eike e croquis da reforma que ele prometia fazer no edifício, ao custo total de R$ 300 milhões.

Apesar da falta de pagamento, o site continua registrado em nome do grupo EBX, holding que controla as empresas do ex-bilionário. 

Leia Também