Terça, 20 de Fevereiro de 2018

AVANÇO

Egito vive quarto dia de conflitos com mortos e feridos

28 JAN 2011Por yahoo16h:28

A onda de protestos que já deixou sete mortos - cinco manifestantes e dois policiais - e dezenas de feridos no Egito esquentou nesta sexta-feira quando rebeldes atearam fogo na sede do partido do governo no Cairo.

Manifestações sem precedentes pedindo a saída do presidente Hosni Mubarak mobilizam milhares de egípcios desde terça-feira.

A internet se encontrava inacessível nesta manhã no Cairo, segundo vários usuários e hotéis. A rede tem sido um instrumento muito utilizado pelos militantes para convocar protestos exigindo a queda do regime de Mubarak.

 Os celulares também foram bloqueados no país. A Vodafone e a France Telecom, empresas que operam telefonia celular no Egito, informaram nesta sexta-feira que o governo do país ordenou a suspensão desses serviços.

 O dirigente da oposição egípcia e Prêmio Nobel da paz Mohamed ElBaradei foi preso hoje, informou a rede catariana de televisão Al Jazeera.

Principal força da oposição, a Irmandade Muçulmana passou a apoiar as marchas convocadas por núcleos de jovens com aspirações democráticas e teve 20 dirigentes detidos nesta madrugada, segundo o advogado do movimento.

A polícia entrou em choque na quarta-feira com milhares de egípcios que desafiaram as proibições e fizeram manifestações pelo fim dos 30 anos de regime do presidente Hosni Mubarak.

Em diversas partes do Cairo, manifestantes queimaram pneus e apedrejaram policiais, que por sua vez usaram gás lacrimogêneo contra a multidão.

São cenas inéditas no país, e de certa forma repetem o que aconteceu há duas semanas em outro país árabe do norte da África, a Tunísia, onde uma rebelião popular derrubou o presidente Zine al Abidine Ben Ali, após 23 anos no poder.

Leia Também