Quinta, 22 de Fevereiro de 2018

Bichos

É hora do passeio

12 JAN 2011Por CRISTINA MEDEIROS00h:00

Quem tem um cão de estimação sabe como é preciosa a hora do passeio. E nesta época de férias, com mais tempo para ficar em companhia do animal, são muitas as pessoas que não abrem mão de uma caminhada ao lado do fiel companheiro, seja em volta do quarteirão ou mesmo em espaços maiores como parques, orlas e avenidas.

Assim como acontece com os seres humanos, sair para espairecer é uma das melhores maneiras de acabar com o estresse do dia a dia dos cães. É quando eles se exercitam e desenvolvem os seus instintos naturais, como farejar e espalhar seus odores para sinalizar o território. Porém, antes de iniciar esta rotina necessária, há que se observar vários detalhes e cuidados básicos, a começar pela vacinação.

“Todo cão precisa estar com o programa sanitário em dia, quer dizer, ter tomado as vacinas. No caso dos filhotes, com o protocolo de vacinação finalizado”, explica o médico veterinário Juliano Soares Lopes, de Dourados. Ele recomenda que o passeio com o filhote aconteça a partir do quinto mês de vida. “É quando o protocolo de vacinação está finalizado”.
O ideal é levar o cão de estimação para passear pelo menos duas vezes ao dia, principalmente quando o cão vive em apartamento. “Passeios diários, sempre; de preferência de manhã e início da noite, desde que ele seja acostumado desde novo a urinar e defecar nestes horários”, acrescenta o médico.

A alimentação e hidratação são outros fatores que devem ser observados com antecedência. “Não se deve alimentar o cachorro antes do passeio, mas hidratá-lo; se ele sai com estômago cheio será um estímulo para fazer coco na rua”.

Se passear e fazer as necessidades fisiológicas pelo caminho são inevitáveis para os animais, cabe aos donos remover os dejetos das ruas, providência obrigatória. Limpar a caca do seu bichinho é uma atitude de cidadania.

Quanto à hidratação, Juliano alerta para que, após a chegada do passeio, seja feita com critério. “Após a caminhada o cão apresenta-se ofegante, uma reação natural que ajuda a diminuir a temperatura do corpo. Por isso, o ideal é esperar que esta respiração volte ao normal e aí sim se ofereça a água. Do contrário, poderão aparecer problemas cardiológicos e gástricos”.

Controle
O ato de dar uma simples volta com o animal, por incrível que pareça, exige cuidados que passam também pela atenção com o estado físico e psicológico, zelos que podem melhorar, e muito, a qualidade de vida do bicho. Por isso, nada de passear debaixo de um sol escaldante. “Para o cão acostumado à rotina de passeio, 30 minutos é o suficiente, e deve ser algo prazeroso, em horas mais frescas, de preferência em calçada regular, no cimento. Para os que estão começando agora, é necessário rotina progressiva”.

O cão idoso, já acostumado a passeios, deve manter a rotina. “É importante exercitá-los, porque algumas doenças podem aparecer na hora do exercício – as cardíacas, musculares, ósseas”, explica o médico veterinário.

Outra dica importante é o uso de coleira e guia. O ideal é pedir orientação ao médico veterinário sobre qual a melhor a ser usada dependendo da idade e tamanho do cachorro. O importante é usá-las sempre que for a passeio e, no caso de cães de grande porte, não esquecer que é obrigatório, por lei, o uso da focinheira.
No mais, é só relaxar e aproveitar a companhia do amigo fiel.

Leia Também