INUSITADO

Durante passeio no Rio, mulher é atingida por porco-espinho

Durante passeio no Rio, mulher é atingida por porco-espinho
18/01/2014 01:00 - TERRA


Uma moradora da Gávea, na zona sul do Rio de Janeiro, foi atingida na cabeça por um porco-espinho enquanto passeava com seu cachorro na noite de segunda-feira. O animal caiu de um poste diretamente sobre o crânio da dona de casa Sandra Nabuco, 52 anos, que precisou ser levada para um hospital. Mais de 150 espinhos ficaram fincados em seu couro cabeludo e foram retirados por um cirurgião de plantão do Hospital Municipal Miguel Couto.

"Levei um susto muito grande e senti uma dor enorme. Consegui pegar meu cachorrinho no colo e fui para casa", relatou a dona de casa em sua página no Facebook. Ela conta que pediu ajuda aos vizinhos e foi levada ao hospital por uma viatura da Unidade de Polícia Pacificadora que estava na região. "Lá fui atendida prontamente pelo cirurgião do plantão Dr. Renato Sá que conseguiu tirar os mais de 150 espinhos do meu couro cabeludo com uma pinça e sem anestesia, só com medicação venosa!", contou Sandra.

Ela logo recebeu alta e pôde voltar para casa. Ela agora está tomando medicamentos para tratar as feridas, ajudar na cicatrização e evitar que haja infecção. "Fui medicada e voltei para casa bem! Agora é tomar os remédios, manter a limpeza do local com sabão neutro e descansar! O porco espinho sobreviveu, pois teve a queda amortecida por minha cabeça!", detalhou ela.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".