Segunda, 25 de Junho de 2018

Dunga ignora apelos e chama os de sempre

11 MAI 2010Por 23h:55
Rio de Janeiro

Desde que assumiu o comando técnico da seleção brasileira, o técnico Dunga pregou a coerência como seu principal critério para convocar os jogadores. E, ontem, na lista dos atletas que defenderão o Brasil na Copa do Mundo da África do Sul, o treinador manteve a base trabalhada nos últimos quatro anos e não surpreendeu na escolha dos 23 jogadores que defenderão o Brasil na briga pelo hexacampeonato.
Assim, Neymar e Paulo Henrique Ganso, grandes sensações deste primeiro semestre com a camisa do Santos, não terão a oportunidade de defender a seleção brasileira no Mundial. Por outro lado, Ronaldinho Gaúcho e Roberto Carlos, remanescentes do fracasso da Copa de 2006, também estão de fora da lista principal.

O grupo convocado por Dunga possui oito remanescentes da eliminação para a França nas quartas de final do Mundial da Alemanha, há quatro anos. Na época, Júlio César era o terceiro goleiro da equipe, Lúcio e Juan formavam a dupla de zaga titular, que se destacou no torneio e Luisão ocupou o banco de reservas, posto que deverá repetir na África do Sul.

No meio-campo, Gilberto Silva começou a Copa na reserva de Emerson e atuou diante dos franceses. Kaká, por outro lado, entrou como um dos destaques do ‘quadrado mágico’ e acabou crucificado, da mesma forma que Adriano, conhecido por ser o Imperador da Internazionale, e que foi cortado na última hora, por apresentar um comportamento pouco profissional no Flamengo.

A vaga do Imperador ficou com Grafite, destaque do Wolfsburg, da Alemanha, e campeão do Mundial de Clubes e da Libertadores de 2005 pelo São Paulo. Robinho, por sua vez, era uma revelação em 2006 e ocupava o banco de reservas do time de Parreira. Atualmente, o Rei das Pedaladas é um dos destaques da equipe de Dunga.

Na opinião do treinador, os títulos que conquistou justificam a manutenção do elenco e do estilo de jogo mais conservador, mesmo diante de toda pressão pela convocação de jogadores ofensivos. “É uma seleção que ganhou a Copa América, Copa das Confederações, Eliminatórias, ganhou da Argentina depois de 30 e tantos anos, então qual é a surpresa que vocês querem?”, disse Dunga.

Lucas
O douradense Lucas, que participou de três convocações para a seleção principal, e foi titular no último jogo oficial do Brasil, em outubro de 2009, contra a Venezuela, em Campo Grande, ficou fora da lista.

Leia Também