terça, 17 de julho de 2018

Obras

Drenagem de algumas vias atingidas iniciará nesta semana

11 JAN 2011Por MILENA CRESTANI e DANIELLA ARRUDA00h:00

Obras de drenagem para evitar novos alagamentos na região do Rio Anhanduí, em bairros como Guanandy (Comunidade Dona Neta) e Vila Santa Amélia Baís devem começar ainda nesta semana, segundo o secretário municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação, João Antônio De Marco. No entanto, obras em outros pontos, como Jockey Club, Nha-Nhá e Marcos Roberto, que também sofreram com enxurradas, ainda dependem de recursos para que as obras sejam executadas.

A Prefeitura de Campo Grande divulgou ontem oficialmente, o resultado de duas licitações para as obras, que devem ser concluídas em 60 dias. A empresa vencedora dos certames e que irá executar as obras é a Henge Construções Ltda. No Bairro Guanandy, as obras serão realizadas no trecho da Avenida Manoel da Costa Lima. A intervenção consiste no bloqueio da galeria de águas pluviais atual nessa avenida, e na construção de uma nova tubulação para desviar o sistema de captação de águas da chuva pela Avenida Manoel da Costa Lima até o Rio Anhanduí, além da interligação desta linha com outra situada após o loteamento.

Com esta intervenção, uma manilha situada na avenida e que fica em nível superior às casas da Rua Corá, que sofrem constantemente com alagamentos, será bloqueada. “Será necessária uma rede exclusiva para captação de água dessa região”, disse.

Outro ponto
Já na Vila Santa Amélia Baís, as intervenções acontecerão na Avenida Fábio Zahran (Via Morena), ruas Timbiras e Cubatão. Nesta obra, o objetivo é resolver o problema do grande volume de chuvas que desce pela Rua Japão, proveniente da Via Morena, do Jockey Clube, Jardim Paulista e da Vila Progresso, com a construção de sistema de drenagem em todas as ruas que confluem nas proximidades do futuro Shopping Norte Sul Plaza, para evitar problemas futuros de alagamento do centro comercial.

Com isso, segundo o secretário, também devem diminuir os problemas em outros pontos da Ernesto Geisel. Segundo ele, algumas obras, como no cabeceira de ponte que está sendo construída em frente ao Fort Atacadista foram prejudicadas durante o temporal. No entanto, como ainda não foram entregues, os prejuízos são de responsabilidade das empresas. 

Leia Também