Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CULTURA

Drama nacional é atração de hoje do CineMIS

Drama nacional é atração de hoje do CineMIS
14/01/2014 08:00 - DA REDAÇÃO


A Fundação de Cultura do governo do Estado, por meio do Museu da Imagem e do Som, exibe hoje (14), pelo Programa CineMIS Especial de Férias, o filme "O ano em que meus pais saíram de férias". A sessão acontece às 14h.
 
Os filmes que serão exibidos no Programa CineMIS Especial de Férias foram doados pela Ancine (Agência Nacional do Cinema) e compõem um panorama abrangente e diversificado da recente produção cinematográfica nacional, possibilitando certa reflexão sobre a identidade brasileira.
 
“O ano em que meus pais saíram de férias” - 1970. Mauro (Michel Joelsas) é um garoto mineiro de 12 anos que adora futebol e jogo de botão. Um dia sua vida muda completamente, já que seus pais saem de férias de forma inesperada e sem motivo aparente para ele. Na verdade os pais de Mauro foram obrigados a fugir por serem de esquerda e serem perseguidos pela ditadura, tendo que deixá-lo com o avô paterno (Paulo Autran). Porém o avô enfrenta problemas, o que faz com que Mauro tenha que ficar com Shlomo (Germano Haiut), um velho judeu solitário que é seu vizinho. Enquanto aguarda um telefonema dos pais, Mauro precisa lidar com sua nova realidade, que tem momentos de tristeza pela situação em que vive e também de alegria, ao acompanhar o desempenho da seleção brasileira na Copa do Mundo.
 
Classificação indicativa: 10 anos; Gênero: Drama; Idioma: Português; Duração: 104min; Ano: 2006.
 
Serviço: As exibições são gratuitas e acontecem de segunda a sexta, sempre às 14 horas. Consulte a classificação indicativa por dia da semana. O Museu da Imagem e do Som fica no Memorial da Cultura, Avenida Fernando Correa da Costa, 559, 3º andar.

Felpuda


É grande a expectativa em torno de qual foi a justificativa de conhecida figura que beneficiou sujeito, e este, aproveitando a, digamos, boa vontade demonstrada, simplesmente “sumiu do mapa”. Órgão nacional pediu explicações para o “benfeitor”, e o prazo já venceu. Como as decisões por lá não ficam escondidas do distinto público, logo, logo, a curiosidade deverá ser contemplada. É esperar para conferir!