sexta, 20 de julho de 2018

ELEIÇÕES 2012

Doze nomes são cogitados para a disputa pela Prefeitura de Campo Grande

7 NOV 2010Por Edivaldo Bitencourt00h:00

Sem a possibilidade de reeleição de Nelsinho Trad (PMDB), partidos já começam a cogitar os nomes para disputar o comando da Capital de Mato Grosso do Sul, com 750 mil habitantes. Faltando dois anos para a eleição, 12 nomes são ventilados para disputar o segundo cargo mais importante em Mato Grosso do Sul. PT e PMDB podem chegar divididos ao pleito, já que as principais lideranças vão definir os apoios de olho na disputa do Governo do Estado em 2014.

No comando da prefeitura há 20 anos, o PMDB apostará no prestígio de Nelsinho para continuar no Paço Municipal. O partido conta com seis pré-candidatos: os deputados federais eleitos Edson Giroto e Luiz Henrique Mandetta, a vice-governadora eleita Simone Tebet, o deputado estadual Carlos Marun, o presidente da Câmara Municipal, Paulo Siufi, e o vice-prefeito Edil Albuquerque.

Três cotados são ligados ao prefeito: os primos Mandetta e Siufi e Albuquerque. Já Giroto, deputado federal mais votado este ano, e Marun fazem parte da cota do governador André Puccinelli (PMDB), que já governou a cidade por dois mandatos consecutivos. Secretário de Obras no município e no Estado, Giroto é considerado um sonho antigo do governador de fazê-lo prefeito. Simone é considerada surpresa na bolsa de apostas, mas precisará transferir o título eleitoral de Três Lagoas, onde já foi prefeita por dois mandatos.

 

PSDB

Tradicional aliado do PMDB, inclusive fazendo dobradinha ao ocupar a vice-prefeitura em três das cinco gestões peemedebistas, os tucanos prometem alçar voo-solo em 2012. Vice-prefeita no primeiro mandato de Nelsinho, a senadora Marisa Serrano afirmou que é pré-candidata a sua sucessão. "O PSDB vai ter candidato próprio", afirmou, ao votar no domingo passado.

O PSDB também cogita lançar Reinaldo Azambuja, eleito deputado federal. Presidente regional da sigla, ele foi prefeito de Maracaju duas vezes e já anunciou à disposição de mudar o domicílio eleitoral para ficar a disposição do partido. Marisa disse que Azambuja é competente e reúne condições para disputar a prefeitura da Capital.
 

Oposição
Principal partido de oposição, o PT tem três nomes para disputar a sucessão de Trad: os deputados estaduais Paulo Duarte e Pedro Kemp e o deputado federal Vander Loubet. O ex-governador José Orcírio Miranda dos Santos (PT), que mais próximo ficou do cargo ao perder por 411 votos em 1996, anunciou que está "esgotado" e não pretende disputar a eleição.

Ao votar no segundo turno das eleições, ele citou os três deputados do PT. Loubet já foi candidato a prefeito em 2004, quando Nelsinho Trad venceu pela primeira vez. Teruel, que disputou em 2008, não foi cotado porque não conseguiu ser reeleito. Duarte vem dizendo que não vai transferir o título eleitoral de Corumbá para a Capital, apesar da pressão após ser o deputado estadual mais votado pela coligação este ano.

Mesmo perdendo para o Senado, o deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT) não vê como obstáculo o fato de não ter nenhum mandato nos próximos dois anos. Ele não só já começou a articular o lançamento da sua candidatura, como já pensa em contar com o apoio do PT no segundo turno.

Leia Também