quinta, 19 de julho de 2018

DENGUE

Dourados registra seis mortes

28 OUT 2010Por Dourados Agora00h:47

Dados da Secretaria de Saúde de Dourados mostra que somente em 2010, seis pessoas morreram em decorrência da dengue em Dourados. De janeiro até agora já foram notificados 8.073 casos, sendo que 4.652 positivos. Entre as regiões que mais registraram novos casos estão Parque das Nações I com 180 casos, Parque das Nações II com 122 notificações, Jardim Canaã IV com 100 e Jóquei Clube com 89 casos.

A maioria dos registros (57,9%) é de dengue clássica. Já ao tipo hemorrágico, que é o mais grave, causou a morte dos seis pacientes.

Elisa Hidalgo, diretora de Vigilância em Saúde, diz que os números são preocupantes e com as temperaturas elevadas e a possibilidade de chuvas intensas a partir de agora – condições ideais para a proliferação do mosquito da dengue – os cuidados precisam ser redobrados.

Ela alerta para que a população colabore com o município nas ações de controle da doença para que a cidade não volte a registrar um novo quadro de epidemia, como o que aconteceu no início do ano.

Por causa disso, uma ampla campanha de combate à dengue envolvendo todos os setores da sociedade será lançada nesta quinta-feira pela Prefeitura de Dourados por meio de ações educativas e de controle do mosquito transmissor da doença. Com o slogan “Vamos cuidar de Dourados – a dengue está em todo o lugar”, o município apresenta a campanha às 9h, na Escola Etalívio Penzo, no Parque das Nações II.

O trabalho de prevenção à doença por meio de orientações, ações educativas e mutirões de limpeza começa pelo Grande Parque, região que tem apresentado os maiores índices de infestação do mosquito, conforme os mais recentes levantamentos do município.

De acordo com o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), devido ao atual quadro, o Grande Parque é a área da cidade onde deve ser registrado o maior número de novos casos de dengue.

Nesta semana, representantes de todos os setores do município envolvidos na ação de saúde pública participaram de uma reunião, na prefeitura, para definir os detalhes da campanha.

Limpeza

Com o apoio de entidades e clubes de serviço, serão feitos coleta de materiais recicláveis, visitas domiciliares, panfletagem, palestras a respeito das principais formas de combate à doença, gincana com estudantes e mutirões de limpeza.

De acordo com o coordenador do CCZ, o médico veterinário Eduardo Arteiro Marcondes, a campanha começa pela região do Parque das Nações, mas vai se estender a vários bairros, principalmente os que têm apresentado os maiores índices de infestação do mosquito.

Ele informou que neste primeiro momento a ação será totalmente preventiva e que é importante a colaboração da população no trabalho de combate ao mosquito transmissor da dengue.

Eduardo Marcondes disse ainda que as equipes de técnicos e profissionais de saúde vão cobrar dos moradores o cumprimento da chamada Lei da Dengue. Em vigor no município desde 2006, a norma foi reformulada no ano passado e prevê notificações e aplicação de multas para quem não fizer o trabalho de limpeza de quintais e terrenos baldios e outros locais que possam se transformar em criadouros do mosquito.

O coordenador do CCZ informou que a ideia é alertar as pessoas sobre a importância de se prevenir a doença, adotando alguns cuidados simples do dia a dia. “Não pretendemos neste início de campanha aplicar multas, mas queremos fazer valer a Lei da Dengue. Por isso, pedimos a compreensão de todos neste trabalho de combate à doença”, enfatizou Marcondes.

 

Leia Também