Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

DECISÃO DO ELEITOR

Dourados aumenta deputados estaduais e mantém federais

5 OUT 2010Por Fábio Dorta, Dourados00h:48

Mesmo com a crise política que se abateu sobre o município com as prisões do prefeito afastado Ari Artuzi (sem partido), do vice-prefeito Carlinhos Cantor (PR) e de nove vereadores, ampliou-se a representatividade de Dourados na Assembleia Legislativa, a partir de janeiro do ano que vem. Na Câmara dos Deputados, o município manteve sua representatividade com a reeleição de Geraldo Resende e Marçal Filho, ambos do PMDB.
Atualmente apenas o deputado estadual Zé Teixeira (DEM) representa Dourados no Poder Legislativo. Ontem, ele foi reeleito para o quinto mandato consecutivo com 41.991 votos e, de quebra, ainda foi o segundo mais votado em todo o Estado, ficando atrás apenas do campeão de votos Marquinhos Trad (PMDB).
Mas, a partir da próxima legislatura, a bancada douradense estará bem mais forte na Assembleia. Além da reeleição de Zé Teixeira, mais três candidatos com domicílio eleitoral no município passaram pelo teste das urnas. Um deles, o ex-prefeito Laerte Tetila (PT), já foi deputado estadual e agora conseguiu um novo mandato. Ele teve 21.781 votos.
Também vão para a Assembleia o presidente licenciado da Caixa de Assistência dos Servidores de Mato Grosso do Sul (Cassems), Lauro David (PSB), que recebeu 18.244 votos, e o médico George Takimoto (PSL), que já foi deputado federal, vice-governador de Mato Grosso do Sul e vice-prefeito de Dourados. Takimoto obteve 23.646 votos.

Câmara
Na batalha por vaga de deputado federal, Geraldo Resende foi o quinto mais votado em Mato Grosso do Sul e o quarto da Coligação Amor, Trabalho e Fé, com 79.299 votos, ou seja, 6,19% dos votos válidos. Marçal Filho ficou com a sexta e última vaga na coligação e em sétimo lugar entre os eleitos. Ele somou 60.957 votos, atingindo percentual de 4,76% do eleitorado.
Resende demonstrava, antes mesmo da abertura das urnas, confiança em uma votação bastante expressiva. “Tinha convicção de que fiz um bom trabalho na Câmara dos Deputados e que isso seria reconhecido pela população não apenas em Dourados, mas também em outras regiões do Estado”, afirmou o deputado.
Já Marçal Filho afirmou que conseguiu a reeleição com muita dificuldade tanto pela falta de recursos financeiros para a campanha quanto pelo fato de ter assumido o mandato faltando apenas um ano e meio para a eleição. Ele herdou a vaga de Waldir Neves, que foi para o Tribunal de Contas do Estado (TCE).
Se por um lado Resende ficou na frente de Marçal na votação geral, em Dourados foi o radialista que teve a preferência do eleitorado. Ele recebeu, no município, 28.708 votos (28,1%) contra 26.220 votos (25.67%) dados a Geraldo Resende.

Leia Também