ESPORTES

Douradense é candidata ao pódio no Brasileiro de Judô

Douradense é candidata ao pódio no Brasileiro de Judô
05/08/2010 07:39 -


JAKSON PEREIRA

Um dos principais nomes do judô sul-mato-grossense na atualidade, a douradense Camila Gebara, 15 anos, disputa no próximo fim de semana o Campeonato Brasileiro de Judô Sub-20, no Rio de Janeiro, como candidata ao pódio.
O favoritismo da atleta é por mérito. Nesta temporada, Camila conquistou o título Brasileiro Sub-17, disputado em Salvador e foi campeã Sul-Americana Sub-17, em Buenos Aires, na Argentina. Mesmo com todas as conquistas, a atleta mantém os pés no chão. “É uma competição acima da minha faixa etária, mas estou preparada. Sei que vai ser difícil, são muitas atletas experientes e que buscam vaga na seleção permanente, porém vou com o intuito de ganhar”, disse a judoca que disputou no início do mês, em São Paulo, a Copa Revelação Sub-20 e ficou com a medalha de prata.
“Foi uma competição para conhecer as adversárias do Brasileiro e o resultado foi bom. Espero manter o bom momento e conquistar mais um título”, destacou a atleta, que além das conquistas de 2010, tem em seu currículo um Campeonato Pan-americano em 2007, um Brasileiro Sub-15, no mesmo ano, o Brasileiro escolar em 2009, e o Sul-Americano Sub-15 do Equador, também em 2009.

Delegação
A delegação do Estado será representada na competição por 16 atletas. Na disputa do feminino, além de Camila, vão competir Daryene Wider, Mayra Maiquele, Thais Stephania Borges, Ana Carla Rios Grincevicus, Mariana de Oliveira, Rayssa Naza Dutra e Jessica Pereira.
No masculino estão confirmados Mauri Gabriel Fernandes, Nanderson da Silva, Leandro Fabrício Valente, João Marcelo Benfatti, Mateus Lopes, Walter Vieira, Luiz Henrique Nascimento e Wanderson Luiz dos Santos.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".