Terça, 20 de Fevereiro de 2018

líder mundial

Dos EUA saem US$ 48 bi por ano

16 NOV 2010Por Jamil Chade (Genebra)03h:20

Se a entrada de dinheiro ao Brasil está estagnada, o volume de dinheiro que bolivianos, paraguaios, equatorianos e outros grupos mandam a seus países de origem não para de crescer. Em 2005, o volume de remessas de dinheiro para o exterior foi de US$ 498 milhões. Em 2008, o volume havia atingido US$ 1,1 bilhão.

A pior crise financeira no mundo quase não alterou o volume de dinheiro que saiu do Brasil e, em 2009, o montante voltou a superar a marca de US$ 1 bilhão. Para 2010, a projeção é de que esse volume continue a crescer.

O volume que sai da economia brasileira ainda é pequeno comparado aos US$ 48 bilhões que saem da economia americana por ano em remessas de imigrantes. Na Suíça, as remessas chegam a US$ 19,6 bilhões, contra US$ 15 bilhões da Alemanha. Mesmo assim, os números no Brasil são vistos como uma constatação de que a economia brasileira também se tornou fonte de renda para populações de países vizinhos.

O Brasil está entre os três maiores destinos para onde vão paraguaios, superado apenas por Argentina e Espanha. Em 2010, os paraguaios no exterior enviarão para casa US$ 573 milhões e parte desse dinheiro sairá do Brasil. Já bolivianos de todo o mundo enviarão US$ 1 bilhão a suas famílias. O Brasil é o segundo maior local de destino dessa população. Argentinos, uruguaios e mesmo cidadãos da Guiana têm o Brasil como um de seus destinos preferidos para trabalhar.

Leia Também