terça, 17 de julho de 2018

CASO ROGERINHO

Dono de jornal vai a júri popular por homicídio

19 NOV 2010Por VÂNIA SANTOS11h:10

O juiz da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, Carlos Alberto Garcete, pronunciou o dono de jornal Agnaldo Ferreira Gonçalves, 61 anos, a fim de que ele seja levado a julgamento sob a acusação de homicídio contra Rogério de Mendonça Pedra, o "Rogerinho", de dois anos, tentativa de homicídio contra João Afonso Pedra e tentativa branca (sem lesão corporal) de homicídio contra as vítimas Aldemir Pedra Neto e Ana Maria Mendonça Pedra. A data do julgamento ainda não foi definida.

Em seu despacho, o magistrado manteve a prisão do acusado, determinou que a Polícia Federal responda, no prazo de cinco dias, se Agnaldo possuía porte de arma de fogo na data em que ocorreram os crimes e requisitou que João Afonso, avô do menino Rogério, seja submetido a exames complementares no Instituto de Medicina e Odontologia Legal (Imol).

Consta na denúncia que por volta das 10h40min do dia 18 de novembro do ano passado, com a intenção de matar, Agnaldo efetuou vários disparos contra Rogério, que estava no interior de uma caminhonete L-200, no cruzamento da Avenida Mato Grosso com a Rua Rui Barbosa, provocando sua morte. Os tiros também causaram ferimentos graves em João Afonso. Já Aldemir e Ana Maria, tio e irmã do garoto, respectivamente, não foram atingidos por circunstâncias alheias à vontade do denunciado.

Leia Também