Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Dois assassinatos no interior

Dois assassinatos no interior
05/04/2010 22:21 -


Dois homens foram assassinados entre a noite de sábado e a madrugada de ontem em municípios de Mato Grosso do Sul que ficam próximos à fronteira com o Paraguai. Com essas duas mortes, já são pelo menos seis o número de vítimas de homicídio desde sexta-feira no Estado.
Na madrugada de ontem, em Aral Moreira, Robson da Maia Fernandes, 22 anos, foi morto com dois tiros após envolver-se em uma briga no Bar do Páio. Ele chegou a ser socorrido para o hospital municipal, mas, não resistiu aos ferimentos.

Em Antônio João, no fim da noite de sábado, foram baleados Gilmar Rodrigues de Oliveira, 24 anos, e Luiz Elichezer Fernandes, 40 anos. Gilmar foi atingido por cinco tiros: no abdome, tórax e rosto, e morreu no hospital. Já Luiz foi atingido por um e está internado.
De acordo com boletim de ocorrência, ambos estavam no Bar do Leônidas, quando o autor, conhecido como “And” chegou ao local em uma bicicleta e atirou contra Gilmar. O autor fugiu a pé e não foi localizado.

Outros quatro
Os outros quatro homicídios do fim de semana aconteceram em Maracaju, Água Clara, Iguatemi e Paranhos, onde Samuel dos Santos Engoelmann, 17 anos foi morto com 20 facadas.

Em Água Clara, Luciano Alves, 32 anos, foi assassinado com cinco tiros e três facadas. Também morreu esfaqueado Ariomar Ossuma Correa, 30 anos, em Maracaju. Em nenhum destes crimes os autores foram presos.
O único homicida a ser preso foi Roberto Carlos Benites, 20 anos. Ele matou Wesley de Campos Calda, também de 20 anos, em Iguatemi. (NC)

Felpuda


Político experiente tem repetido que não é o momento de falar em eleições. O momento é de tensão, de incertezas políticas e econômicas – como se o País fosse uma ilha de preocupações cercada pelo coronavírus por todos os lados. Em Mato Grosso do Sul, onde já se registrou morte pela doença e o número de casos só tende a subir, não poderia ser diferente. “É suicídio político para quem ousar falar em eleição neste momento”, conclui. Só!