Terça, 20 de Fevereiro de 2018

ARGENTINA

Ditador José Videla condenado a prisão perpétua

23 DEZ 2010Por TVI10h:12

O tribunal federal argentino condenou esta sexta-feira o antigo déspota José Rafael Videla sentença de prisão perpétua, uma pena que terá de cumprir numa cadeia comum. O ditador respondia a acusações de execução e tortura de opositores políticos e outros crimes contra a humanidade.

A mesma sentença ditada esta quarta-feira já tinha sido imposta ao antigo general, hoje com 85 anos, em 1985, durante julgamento histórico da junta militar por crimes cometidos durante a ditadura, da qual resultaram 30 mil desaparecidos

No entanto, a pena foi anulada em 1990 por indulto do então Presidente Carlos Menem, decisão que foi declarada inconstitucional em 2007 e confirmada em Abril passado pelo Supremo Tribunal.

A mesma pena vai ser aplicada a Benjamin Menéndez, líder do corpo militar à data da ditadura (1976-1981), tendo sido imputados a ambos crimes de homicídio qualificado por aleivosia, imposição de torturas agravadas, lesões graves, privação ilegal de liberdade, torturas seguidas de morte, referiram os jornais argentinos La Nación e El Argentino.

O tribunal ordenou ainda a detenção imediata e transferência para uma unidade prisional dependente do Serviço Penitenciário Federal.

De acordo com a versão online dos periódicos argentinos, a leitura da sentença foi acompanhada pelos gritos de alegria de familiares das vítimas de repressão política e dos activistas de organizações de defesa dos direitos humanos, que também se manifestaram antes da audiência em frente aos Tribunais Federais de Córdoba.

Leia Também