Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Distribuidora se desculpa por pôster polêmico de '12 Anos de Escravidão'

Distribuidora se desculpa por pôster polêmico de '12 Anos de Escravidão'
28/12/2013 16:30 - TERRA


A distribuidora italiana do filme ’12 Anos de Escravidão desculpou-se oficialmente pelos pôsteres que devam ênfases aos atores Brad Pitt e Michael Fassbender, ao invés do protagonista Chiwetel Ejiofor, que é negro.

“Nós nos desculpamos por criar e lançar pôsteres não autorizados de 12 Anos de Escravidão na Itália, com Brad Pitt e Michael Fassbender dispostos em um modo incompatível ao material de propaganda aprovado”, disse a BIM Distribuzione em comunicado divulgado na última quinta-feira (26). “Todo o material inapropriado será retirado de circulação. Estamos muito orgulhosos do filme e lamentamos qualquer distração que tenha causado esse incidente.”

O pedido oficial de desculpas aconteceu três dias depois que os pôsteres foram distribuídos da Itália. O filme, produzido por Pitt, que também faz uma pequena ponta, retrata a condição degradante de um homem livre negro, nos Estados Unidos de 1841, que é capturado e vendido como escravo. Fassbender, que também é destacado no material italiano, é coadjuvante da história.

A Lionsgate, produtora do filme, submeteu na última segunda-feira (23) um comunicado criticando o material não autorizado da distribuidora italiana, além de anunciar que estava investigando o caso.

12 Anos de Escravidão, ainda sem data de estreia no Brasil, foi nomeado a sete Globo de Ouro, quatro prêmios SAG e cinco Independent Spirit. O filme foi bastante aclamado em sua apresentação, no Festival de Toronto, no Canadá, em setembro. 

Felpuda


Figurinha começou a respirar aliviada, embora ainda esteja na corda bamba. Isso porque mudou de mãos o processo cuja sentença poderá mandá-la para casa definitivamente. Assim, pela “jurisprudência” com a qual o “analista” é conhecido, pode ser que o resultado seja bastante favorável, permitindo que a então desesperada pessoa continue com o assento em Brasília. Vamos ver!